373831_924689_sbd_rs_iapi_dezembro_laranja__18__web_Ação mobilizou voluntários em Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele organizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia

Um sinal que pode ser de alerta e não apenas uma marca na pele. Ao longo do sábado (07/12) centenas de pacientes foram examinados em uma ação especial organizada em dez pontos de atendimento no Rio Grande do Sul. Mesmo sem ter nenhuma suspeita, Dirlei Brandini de 63 anos, de Porto Alegre foi até o posto para buscar atendimento. O receio foi a experiência vivida pelo marido.

– Sempre é bom fazer uma revisão. Meu marido descobriu durante uma dessas campanhas, há três anos, que tinha câncer de pele. Felizmente tratou e ficou bem. Por isso recomendo sempre que as indivíduos façam um esforço e compareçam a esse tipo de ação – disse.

Para Vera Raupp Vargas, de 63, moradora de Cachoeirinha, a consulta é importante para verificar casos suspeitos na pele.

– Eu não tomo cuidado nenhum com o sol e por isso fico preocupada. Tenho já algumas manchas na pele e achei importante consultar – disse.

A iniciativa, alusiva ao Dezembro Laranja, é coordenada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e no território gaúcho, foi organizada pela SBD-RS.

– Pessoas de pele clara, olhos claros, com muitas sardas e que se queimam muito facilmente precisam ter um cuidado maior para evitarem as queimaduras solares. A melanina é uma proteção natural da pele que protege contra a ação da radiação ultravioleta no núcleo da célula – explicou a presidente da SBD-RS, Taciana Dal’Forno Dini.

A incidência do câncer de pele é preocupante e o objetivo da ação é levar conhecimento ao público e fazer o diagnóstico precoce do câncer de pele.

– Muitas vezes não há conhecimento e nem acesso aos médicos por parte da população. Por isso o Dezembro Laranja é tão importante – comenta a coordenadora da Campanha Dezembro Laranja 2019, Louise Lovatto.

No Postão do IAPI, a SBD-RS em parceria com o Centro de Saúde IAPI, na Avenida Três de Abril nº 90, bairro Passo D´Areia, distribuiu 250 fichas ao público em geral. O atendimento foi totalmente gratuito e o paciente terá acompanhamento durante o tratamento indicado, que será realizado com parceria com a regional RS da Sociedade de Cirurgia Plástica. O médico cirurgião plástico e coordenador do Ambulatório de Cirurgia Plástica do IAPI, Dr. Antônio Pinto Oliveira, reforçou a importância de trabalhar a prevenção e diagnóstico precoce.

– Trazer esses pacientes para dentro de um sistema resolutivo no tratamento das lesões é fundamental. Queremos sempre orientar para prevenção, ou seja, ensinar os pacientes medidas para não ter o câncer de pele. Há casos graves que trazem risco de morte e outros que não são agressivos mas são mutilantes e também são importantes porque, com diagnóstico precoce é possível fazer uma cirurgia mais conservadora e curativa para esses pacientes – disse.

Uma novidade desse ano foi a colocação de um ponto incremento de atendimento em frente ao prédio graças a uma parceria com o Ministério Público Estadual. No ônibus, foram prestados esclarecimentos e transmitidas informações importantes a respeito da doença.

Os números do câncer de pele na nação brasileira são alarmantes. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente, são diagnosticados 180 mil casos novos da doença. Isso significa que 1 em cada 4 casos novos de câncer na nação brasileira, é de pele. Em todo o país, foram mobilizados cerca de quatro mil médicos dermatologistas e residentes de Dermatologia voluntários.

No Rio Grande do Sul, além do Posto do IAPI em Porto Alegre foram prestados atendimentos no Ambulatório de Dermatologia Sanitária na avenida João Pessoa. Na região metropolitana e interior, o atendimento ocorreu no Ambulatório do Hospital Universitário da ULBRA, em Canoas; no Centro Clínico da Universidade de Caxias do Sul; no Ambulatório de Especialidades Médicas do Centro Clínico Univates, em Lajeado; no Ambulatório de Dermatologia, em Passo Fundo; no Centro de Especialidades Municipal de Pelotas; no Ambulatório do Hospital Universitário de Rio Grande; no Hospital Ana Nery, em Santa Cruz do Sul e na Policlínica Municipal de Uruguaiana.

O balanço final com as quantidades será comunicado no início da próxima semana