Até o momento, 9 casos na nação brasileira se enquadraram na atual definição de caso suspeito. OMS declarou Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional para o novo coronavírus

Foto: Carlos Américo / ASCOM MS

O Ministério da Saúde anunciou, nesta quinta-feira (30), em coletiva de imprensa realizada em Brasília (DF), que o sistema de saúde público brasileiro está sendo preparado, de forma preventiva, para atender possíveis pacientes infectados com o novo coronavírus e, para isso, abrirá processo de licitação para alocar novos mil leitos nos hospitais de referência indicados pelos estados. De acordo com o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, os termos de referência para o processo licitatório já começaram a ser elaborados e os leitos serão instalados em um período de até 30 a 40 dias, de acordo com os prazos legais e naturais de processos de licitação.

“O número de leitos será compatível com as demandas e, se precisar, vamos ampliar esse quantitativo”, informou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, ao destacar que a pasta disponibilizará os leitos com todos os insumos necessários, assistência técnica, manutenção e treinamento. “Ainda não podemos definir a distribuição desses leitos, que seguirão os critérios dos planos de contingência dos estados e a evolução da doença. Quando determinados locais precisarem de reforço de leitos de UTI, esses terão prioridades e colocaremos à disposição dos hospitais”, garantiu o secretário-executivo.

Nesta quinta-feira (30) a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) para o novo coronavírus. Com isso, uma ação coordenada de combate ao vírus deverá ser traçada pela organização entre diferentes autoridades e governos. Até o momento, nove casos na nação brasileira se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus), estabelecida pela OMS.

Os eventuais pacientes com casos graves do novo coronavírus devem ser encaminhados pelos profissionais de saúde aos hospitais de referência definidos pelos estados para isolamento e tratamento. Os casos suspeitos leves podem não necessitar de hospitalização e ser acompanhados pela Atenção Primária e instituídas medidas de precaução domiciliar. Porém, é necessário avaliar cada caso.

Saiba mais sobre o novo coronavírus

CASOS SUSPEITOS DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL

O Ministério da Saúde atualizou, nesta quinta-feira (30), as informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde sobre a situação dos casos suspeitos do novo coronavírus na nação brasileira. Até o momento, nove casos se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus), estabelecida pela OMS, ou seja, apresentaram febre e, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, e viajaram para área de transmissão local, a China, nos últimos 14 dias.

Os casos suspeitos estão sendo monitorados pelo Ministério da Saúde nos seguintes estados: Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), São Paulo (3), Rio Grande do Sul (2), Paraná (1) e Ceará (1).

Até às 12h desta quinta-feira (30), o Ministério da Saúde recebeu a notificação de 43 casos para investigação de possível relação com a infecção humana pelo novo coronavírus. Desse total, 34 já foram descartados ou excluídos para suspeitos do novo coronavírus por não cumpriram a definição de caso ou apresentaram fechamento laboratorial para outros vírus respiratórios como o vírus Influenza A/H1N1, Influenza A/H3 e Rhinovirus.

Todas as notificações foram recebidas, avaliadas e discutidas com especialistas do Ministério da Saúde, caso a caso, com as autoridades de saúde dos estados e municípios.

Assista, na íntegra, à coletiva com esclarecimentos e atualizações do novo coronavírus

DECLARAÇÃO DE EMERGÊNCIA DA OMS

O Comitê de Emergência da OMS reconheceu que, em geral, as evidências demonstram que restringir o movimento de indivíduos durante emergências de saúde pública pode ser ineficaz. No entanto, em certas circunstâncias específicas, medidas que restringem o movimento de indivíduos podem ser temporariamente úteis, como em ambientes com capacidades de respostas limitadas ou onde há alta intensidade de transmissão entre populações vulneráveis. Na nação brasileira, a orientação do Ministério da Saúde é que viagens para China sejam realizadas em casos de extrema necessidade.

EMERGÊNCIA INTERNACIONAL

Emergência de saúde pública de importância internacional significa um evento extraordinário que, nos termos do presente Regulamento Sanitário Internacional é determinado como: constituindo um risco para a saúde pública para outros países, devido à propagação internacional de doença e potencialmente exigindo uma resposta internacional coordenada.

Por Natália Monteiro e Vanessa Aquino, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745 / 2351

Leia mais: http://saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46262-acao-preventiva-saude-ira-disponibilizar-mil-novos-leitos-para-tratamento-no-sus