A pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite por Haemophilus influenzae B

Foto: Divulgação/SES

A pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite por Haemophilus influenzae B – Foto: Divulgação / SES

A SES (Secretaria da Saúde) começou nesta quinta-feira (09) a distribuição das 41 mil doses de vacinas pentavalente recebidas do Ministério da Saúde. As cidades da Região Metropolitana devem estar abastecidas entre a quinta e a sexta-feira (10), enquanto os municípios mais distantes têm previsão de recebimento até a próxima semana.

Todas as cidades do RS serão atendidas, em número proporcional à população. A vacina é recomendada para crianças em três doses, aos 2, 4 e 6 meses. A pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite por Haemophilus influenzae B.

Na manhã desta quinta-feira, o Cevs (Centro Estadual de Vigilância em Saúde) entregou as doses previstas para a capital e para as coordenadorias regionais com sede em Cachoeira do Sul e Ijuí, que as distribuíram entre as 32 cidades abrangidas. À tarde foram encaminhadas as vacinas para as duas regionais responsáveis pelos 65 municípios da Região Metropolitana.

O envio foi realizado em caráter emergencial, já que o imunobiológico passou por um período de indisponibilidade na rede desde o ano passado, devido a um desvio de qualidade identificado na sua produção. Um novo lote importado foi liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), após aprovação em testes de qualidade pelo INCQS (Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde).

A quantidade recebida corresponde a aproximadamente a média mensal utilizada no Estado. Para colocar em dia a situação vacinal de todas as crianças que tenham ficado sem tomar a dose nos últimos meses, mais envios estão previstos pelo Ministério da Saúde ao Rio Grande do Sul ainda em janeiro.

A criança – independentemente da idade – que não tomou uma ou mais doses previstas no calendário deve ser levada à UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima para colocar em dia sua carteira de vacinação.

A primeira dose é prevista aos dois meses de idade e, a partir dela, as demais devem ser feitas com intervalo mínimo de 30 dias, sendo que recomenda-se 60 dias entre as doses. Quem deixou de tomar alguma dose na idade recomendada pode ser vacinado a qualquer momento, respeitando o intervalo de tempo previsto.

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Deixe seu comentário