NOVO CORONAVÍRUS

Representante do governo federal da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, detalhou a situação do país. Até às 15h desta terça (4/2), 13 casos suspeitos para o novo coronavírus estão em investigação

Foto: Natália Monteiro / MSFoto: Natália Monteiro / MS

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se reuniu nesta terça-feira (4/2) com o procurador-geral da República, Augusto Aras, para apresentar as ações de monitoramento e de investigação da pasta sobre o novo coronavírus na nação brasileira. Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde encaminhou ao Congresso Nacional o Projeto de Lei que dispõe sobre medidas de quarentena para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus.

O ministro detalhou a situação atual do país que, até às 15h desta terça-feira, contabilizava 13 casos suspeitos do novo coronavírus e 16 casos descartados. A maioria dos casos que se enquadram na atual definição de caso suspeito para o nCoV-2019 estão no estado de São Paulo, com seis notificações. Em seguida estão o estado do Rio Grande do Sul, com quatro casos, Santa Catarina com dois casos notificados e o estado do Rio de Janeiro, com um caso suspeito notificado ao Ministério da Saúde.  

Mandetta destacou a importância da divulgação com transparência que a pasta tem realizado diariamente. “Todos os dias, à tarde, convidamos a imprensa para atualizarmos o cenário do novo coronavírus na nação brasileira. Para nós, enfrentar uma situação como essa só será possível se tivermos a credibilidade de darmos as quantidades e as informações corretas”, afirmou.

O procurador-geral da República manifestou interesse em acompanhar o desdobramento dos trabalhos desenvolvidos pelo Ministério da Saúde sobre o assunto. “Queremos que o Ministério Público esteja próximo das instituições e, principalmente, da sociedade”, afirmou Aras.  

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, apresentou o plano de contingência do Ministério da Saúde com as últimas ações da pasta, como a portaria publicada, em edição extra, nesta segunda-feira (3/2) que declara a Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da infecção humana pelo novo Coronavírus. O Projeto de Lei e a Portaria servirão para dar maior celeridade ao processo de repatriação dos brasileiros em Wuhan, na China, que demonstraram intenção de retornar aa nação brasileira.

 

Por Natália Monteiro, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa

(61) 3315-3580 / 2207

Leia mais: http://saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46289-saude-e-pgr-debatem-acoes-sobre-o-novo-coronavirus