Boletim do Prohort destaca itens mais em conta para compra de hortaliças

Em tempos de economizar na quantidade de vezes que se sai às compras, vale investir em produtos mais baratos. No caso das hortaliças, a batata apresentou queda de preços generalizada nas Centrais de Abastecimento do país em fevereiro, o que deve se refletir também nos mercados neste mês. Os valores foram divulgados nesta terça-feira (17), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no 3º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort).

De acordo com o estudo, o maior desconto ocorreu nas Centrais de Brasília/DF (13%), seguida das que abastecem Belo Horizonte/MG (8,97%) e Vitória/ES (6,7%). Os analistas indicam que o motivo da redução foi o aumento da oferta deste produto. Por outro lado, outras hortaliças como alface, cebola, cenoura e tomate, mostraram aumento de preços na maioria dos mercados atacadistas analisados. No caso da alface, a intensidade de chuvas e as altas temperaturas de verão diminuíram a oferta e deixaram o produto mais caro. A cebola também teve alta de preços atrelada ao período de redução da oferta do produto.

A cenoura foi a hortaliça que teve os maiores aumentos em termos percentuais, que chegaram a mais de 50% em Ceasas como a de Goiânia/GO (69,59%), Brasília/DF (56,52%) e Belo Horizonte/MG (52,68%). A alta acentuada é explicada pela redução da oferta em São Gotardo/MG, principal região produtora. Já com relação ao tomate, houve um aumento significativo registrado em Fortaleza/CE (96,97%), seguido por Recife/PE (54,71%) e Belo Horizonte/MG (27,32%).

Frutas – O Boletim Prohort traz também os principais destaques entre as frutas nas Centrais do país, que no mês de fevereiro ficou com a melancia e a banana. Espera-se que os dois produtos estejam mais em conta pelo menos em seis estados, onde os percentuais de desconto foram maiores. Embora a melancia tenha apresentado boa produção nas roças, houve baixa procura pelo produto em razão das chuvas e do feriado de Carnaval, além da renda do consumidor estar mais apertada. A venda de banana também diminuiu nas principais centrais de abastecimento, devido aos feriados e os períodos de chuva, que dificultaram a comercialização da fruta.

As exportações deste dois produtos indicam que podem continuar a registrar bons números de venda externa nos próximos meses. No caso da melancia, as expectativas são boas devido à demanda europeia. O ano de 2020 iniciou com bom volume de embarque da fruta, principalmente para o bloco. Já os produtores de banana apostam na melhor qualidade do produto para conquistar o mercado europeu, além de uma maior entrada no Mercosul, uma vez que Paraguai e Colômbia terão seus envios comprometidos, abrindo espaço para a fruta brasileira.

Clique aqui para acessar aqui o relatório completo.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/ 6344/ 6393/ 6389/ 2256
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.