Com a pandemia do coronavírus, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) alerta para a importância do reforço de medidas de prevenção ao vírus no meio rural. Os cuidados devem ser adotados porque animais, indivíduos, veículos e equipamentos que entram na propriedade podem ser fonte de contaminação para os trabalhadores, já que o Covid-19 fica nas superfícies por um tempo.

“O vírus não atinge animais e vegetais [não transmitem], mas a higienização de alimentos continua sendo fundamental e necessária para mantê-los seguros antes de cozinhá-los”, destacou o diretor do Departamento de Análises Econômicas e Políticas Públicas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luís Eduardo Pacifici Rangel. “Nesse momento, há necessidade e urgência de se reforçar medidas de higiene em todas as etapas da cadeia de produção dos alimentos, principalmente no transporte e manipulação das mercadorias nos centros de distribuição.” 

O Brasil tem o maior rebanho comercial bovino, com cerca de 213,5 milhões de animais, segunda informaçãos do Instituta nação brasileiraeiro de Geografia e Estatística (IBGE). São mais de 15 milhões de indivíduos ocupadas nos estabelecimentos agropecuários espalhados por todo território nacional. A área agrícola cresceu 3,3% entre 2016 e 2018, de acordo com o monitoramento do instituto. São mais de 664 mil quilômetros quadrados, o equivalente a 7,6% do território nacional.

“Esses números mostram a dinâmica do segmento, que envolve inúmeros elos da cadeia produtiva”, observou o diretor do Departamento das Cadeias Produtivas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Orlando Melo de Castro,  ao destacar a importância dos produtores rurais e transportadores de alimentos e bebidas, que estão na linha de frente do segmento, adotarem recomendações dos órgãos de saúde para prevenir o contágio e a transmissão do Covid- 19.

Toda cadeia produtiva de alimentos e bebidas é atividade considerada essencial de acordo com o Decreto 10.282, de 20 de março de 2020.

As regras higiênico-sanitárias da produção agropecuária já são amplamente conhecidas e aplicadas regularmente pelos produtores rurais, refletindo a excelência da produção brasileira. Há uma série de recomendações que devem ser tomadas principalmente na circulação de mercadorias e cuidados pessoais na logística.

Os transportadores, especialmente, devem observar essas orientações.

 Veja abaixo as recomendações gerais:

  • lavar, com frequência e sempre que necessário, mãos, braços e rosto com água e sabão;
  • aplicar, frequentemente e sempre que necessário, álcool gel nas mãos;
  • aumentar a frequência de desinfecção das superfícies de contato de veículos seja volante do trator e ou câmbio, painel e maçanetas de carros; e
  • manter a distância segura (recomendação de dois metros) entre indivíduos nos locais de descanso e evitar aglomerações.

Recomendações para circulação de operadores de veículos de carga:

  • entrar no pátio apenas no momento do carregamento;
  • utilizar álcool gel nas mãos antes e após a entrega/retirada de documentos; e
  • motoristas de contêineres, não desçam das cabines. Os contêineres deverão ser plugados no estacionamento de caminhões e liberados para entrada para carregamento e já direcionados para a área de expedição.

Recomendações para entregas de materiais: 

  • o motorista não deve sair do veículo; e
  • antes da entrega de documentação, o motorista deve passar álcool gel nas mãos.

>> Recomendações para os produtores rurais:

    Seguir a orientação padrão do Ministério da Saúde.

  • lave as mãos em intervalos menores, com água e sabão;
  • evite aglomerações e contato indivídual muito intenso.

Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais: https://www.gov.br/pt-br/noticias/agricultura-e-pecuaria/2020/03/confira-medidas-de-prevencao-ao-coronavirus-no-campo