Entidades de saúde anunciam medidas de prevenção ao coronavírus em Lajeado e região

O encontro reuniu autoridades de saúde e entidades na Prefeitura O encontro reuniu autoridades de saúde e entidades na Prefeitura

Autoridades de saúde e entidades reuniram-se na tarde desta quinta-feira (12/03/20) para discutir ações e protocolos para antecipar a prevenção ao coronavírus em Lajeado e região. Lajeado não teve nenhum caso confirmado até agora, e o único caso suspeito até então não se confirmou após exame. Ainda assim, o objetivo da reunião foi definir os procedimentoso de forma antecipada para que, quando começarem a surgir casos – e há unanimidade entre os especialistas de que o vírus chegará à região -, os encaminhamentos já estejam definidos.

Participaram da reunião a Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria Municipal da Saúde e da Vigilância Epidemiológica, Hospital Bruno Born, UPA, Univates, Unimed e 16ª Coordenadoria de Saúde, além do Ministério Público.

Reuniões diárias serão realizadas entre as autoridades para atualizar a situação a cada dia e a rever os novos procedimentos, incluindo novas orientações e restrições a serem adotadas no município e seguindo as orientações dos órgãos responsáveis da Secretaria Estadual da Saúde e do Ministério da Saúde.

Veja abaixo as principais medidas adotadas:

Sobre como saber se a pessoa é um caso suspeito

Nesta quinta-feira, 12/03/20, por não existir em Lajeado e região nenhum caso confirmado de contaminação por coronavírus, serão considerados suspeitos os casos de indivíduos que: tiveerm viajado ao exterior (qualquer país) nos últimos 14 dias E QUE TAMBÉM estejam apresentando algum destes sintomas: 

– Febre medida

– Sintoma respiratório, como tosse ou dificuldade para respirar

IMPORTANTE: se a pessoa se considera  um  caso suspeito, a orientação é que já se isole o máximo possível, de preferência em casa, e não tenha contato com outras indivíduos para evitar a contaminação.

O que o caso suspeito deverá fazer

A pessoa deverá:

– Ligar para a Vigilância Epidemiológica do município no 3982-1119 ou 3982-1217 das 7h30 às 16h30 

– O caso será avaliado pela equipe da Vigilância, que fará os encaminhamentos necessários para o atendimento de saúde e para coleta de exames, se necessário

IMPORTANTE: esta orientação poderá mudar a qualquer momento, dependendo da reavaliação das condições e do monitoramento da doença no dia a dia.

Sobre aglomerações

A recomendação das autoridades municipais é suspender, na medida do possível, todos os eventos eletivos que impliquem aglomeração, como festas, missas e eventos sociais. Salienta-se que não há proibição neste momento, mas recomendação. Não há esta recomendação para escolas e empresas neste momento.

IMPORTANTE: este tipo de orientação pode mudar em um curto período de tempo, seguindo nova decisão das autoridades municipais e orientações do Ministério da Saúde ou da Secretaria Estadual da Saúde.

Sobre o funcionamento do Hospital Bruno Born

O Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado, decidiu restringir os acessos à instituição para evitar riscos de contaminação. As visitas a todas as unidades, incluindo as UTIs, serão restritas a apenas uma pessoa por paciente. O horário estendido de visita à UTI adulto será suprimido, e será permitida visita apenas entre 12h e 13h. Visitas técnicas e de fornecedores também serão limitadas.

Sobre como se prevenir

Como ainda não há cura nem vacina contra o vírus, a melhor orientação é evitar a contaminação. A principal orientação é lavar as mãos com frequência e evitar contato com ambientes onde ocorrem aglomerações de indivíduos com risco da doença.

Outras ações que podem auxiliar em evitar a disseminação de doenças respiratórias:

1. Lavar as mãos sempre com água e sabão (conforme desenho acima).

2. Limpar áreas de maior contato como maçanetas, celulares, teclados de computador, mesas, etc.

3. Lavar as mãos após uso do transporte público. Caso não tenha acesso a algum banheiro, ter álcool gel sempre a mão facilita.

4. Ao tossir e espirrar, utilize lenços de papel para evitar que as secreções sejam eliminadas no ar.

5. Além disso, nesta época, evite apertos de mãos e cumprimentos no rosto.

6. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

7. O uso de máscara cirúrgica é indicado para indivíduos portadoras de doenças respiratórias ou de doenças que causem redução em sua imunidade.

8. Ao tossir, cubra nariz e a boca, evite uso das mãos, prefira cobrir com o braço.

9. Mantenha os ambientes arejados.

Sobre como ocorre a contaminação com o Coronavírus 

O novo Coronavírus (COVID-19) é um tipo de infecção respiratória, causada por vírus, semelhante aos resfriados e às gripes comuns. A contaminação pode ocorrer a partir de gotículas de secreção de pessoa doente, pela tosse, espirro e saliva, e também por urina e fezes. O contágio ocorre quando estas gotículas entram em contato direto com as mucosas (narinas, boca e olhos) da pessoa saudável, o que ocorre com frequência ao tocar superfícies contaminadas e depois levar o vírus com as mãos para os olhos, nariz e boca.

Idosos e doentes crônicos, os grupos mais vulneráveis

As autoridades indicam que indivíduos com mais de 60 anos e pacientes com doenças crônicas tenham cuidados redobrados em razão de o coronavírus ser mais letal nestes casos. Por isso, estas indivíduos devem evitar, na medida do possível, frequentar lugares com aglomerações para reduzir o risco de possível contaminação. O risco aumentado está no fato de essa indivíduos serem mais suscetíveis de desenvolverem quadros respiratórios graves ao serem contaminadas pelo coronavírus.

Campanha de vacinação contra a gripe

A partir de 23 de março, começa no Rio Grande do Sul a campanha de vacinação contra o vírus influenza, causador de gripe comum e da gripe H1N1. É importante todas as indivíduos do público-alvo fazerem a vacina como forma de se precaverem contra a doença e de estarem saudáveis diante do crescimento das possibilidades de contaminação pelo coronavírus. O público-alvo na fase inicial da campanha são:

– Idosos (maiores de 60 anos)

– Profissionais da área da saúde

Telefones para informações e esclarecimento de dúvidas:

136 – Ministério da Saúde

150 – Disque Vigilância do Estado do Rio Grande do Sul