CORONAVÍRUS

Ministério da Saúde e OPAS promoveram o encontro para atualização e aprimoramento do manejo clínico de casos de infecção pelo coronavírus em crianças, adultos, gestantes e idosos

Durante dois dias, especialistas das sociedades médicas brasileiras e internacionais estiveram reunidos na sede da OPAS, em Brasília, para atualização e aprimoramento do cuidado e tratamento de casos de infecção pelo coronavírus em crianças, adultos, gestantes e idosos. O objetivo é elaboração de um documento com as orientações de manejo clínico dos casos de COVID-19. Para as discussões foram consideradas as últimas evidências sobre o tema, além da experiência de países na assistência a casos já confirmados, como, por exemplo, Estados Unidos, Equador e Espanha, que contaram com representantes no evento, que aconteceu nesta terça (10) e quarta-feira (11).

Os especialistas reuniram-se por iniciativa do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES), e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). A abertura contou com a participação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e do secretário da SAES, Francisco de Assis Figueiredo. Durante o evento, eles trabalharam divididos em três grupos.

ASSISTÊNCIA DO COVID-19

Diversas ações do Ministério da Saúde para assistência já estão em curso, como a conclusão do processo licitatório para locação de mil novos leitos de UTI a serem disponibilizados aos hospitais de referência dos estados, conforme necessidade, para tratamento de pacientes que apresentarem as formas mais graves da doença.

Neste momento, a pasta junto aos estados e municípios busca orientar a população na conscientização de que não há necessidade de procurar diretamente UPA 24H, hospitais e prontos socorros caso manifestem os sintomas. “A porta de entrada para os casos suspeitos de coronavírus é a Atenção Primaria à Saúde, por meio dos postos de saúde, onde o cidadão será avaliado, e a critério médico, encaminhado a um serviço especializado. Dessa forma, os hospitais concentrarão o atendimento somente em casos graves que necessitem de intervenção mais complexa”, destaca a diretora do Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência (DAHU/SAES/MS), Adriana Melo Teixeira.

COVID-19 na nação brasileira

O panorama do novo coronavírus no mundo já conta com mais de 113 mil casos confirmados em diversos países, além de 4.012 óbitos, de acordo as informações desta terça-feira (11/03). Na nação brasileira, são 52 casos confirmados, 907 suspeitos em investigação e 935 descartados.

No caso da nação brasileira, medidas foram tomadas com celeridade. Todos os estados e o Distrito Federal enviaram seus planos de contingência ao Ministério da Saúde, com a indicação de hospitais de referência para o tratamento de pacientes com COVID-19. Novas legislações foram publicadas, como o Decreto Nº 10.211, de 30/01/2020, que dispõe sobre o Grupo Executivo Interministerial de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional e Internacional; a Portaria Nº 188, de 03/02/2020, que declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus; e a Lei Nº13.979, de 06/02/2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) decorrente do coronavírus.

Outro destaque é o uso da tecnologia para apoiar as medidas de controle, com ferramentas que permitem o acompanhamento em tempo real de novos casos confirmados, na Plataforma IVIS, além da transparência na comunicação com a população e o combate à notícias falsas com relação ao coronavírus.

Por Cristiane Madeira Ximenes do Nucom SAES para Agência Saúde

Atendimento à imprensa

(61) 3315-3580