O Ministério da Saúde iniciou nesta segunda-feira (23/03) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. De acordo com a pasta, nesta primeira etapa os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. A etapa seguinte da campanha terá início no dia 16 de abril com objetivo de vacinar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança e salvamento. A última fase, que começa no dia 9 de maio, priorizará crianças de 6 meses a menores de 6 anos, indivíduos com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. 

Neste ano, o Ministério da Saúde mudou o início da campanha, de abril para março, para proteger de forma antecipada os públicos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe. A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, irá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para coronavírus, já que os sintomas são parecidos. E, ainda, ajuda a reduzir a procura por serviços de saúde. Estudos e dados apontam que casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados em indivíduos acima de 60 anos, grupo que corresponde a 20,8 milhões de indivíduos na nação brasileira. Por isso, a primeira etapa da campanha contempla esse público. 

A vacina, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no hemisfério sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). 

Clique aqui para saber mais sobre a campanha e ajude a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) a disseminar informações relevantes para a população.