CORONAVÍRUS

Objetivo é unificar as informações sobre a prevenção da pandemia e as ações já realizadas pelo governo federal

Por Cecília Melo

Manual_portal.jpg

Com o objetivo de esclarecer as principais dúvidas das áreas turísticos e dos viajantes sobre as medidas que vêm sendo adotadas para conter a pandemia de coronavírus, o Ministério do Turismo produziu um manual eletrônico com informações relevantes para o cenário atual. Veja aqui o documento na íntegra.

Orientações de prevenção, grupos de risco, transmissão, tratamento, sintomas e recomendações para quem chegou do exterior são algumas das informações contidas na primeira parte do manual. O documento detalha, ainda, as principais regras, tanto para as empresas do segmento turístico quanto aos consumidores, em relação à remarcação de viagens e serviços turísticos, como pacotes, passagens aéreas e reservas de hotéis.

As principais ações já realizadas pelo Ministério do Turismo, bem como pelo governo Federal, também foram listadas no manual. As repatriações de brasileiros que estão retidos em vários países com o fechamento de fronteiras e cancelamento de voos; medidas que facilitam o acesso ao crédito de micro a grandes empresas, adiam pagamentos de financiamento e reduzem juros; além de regras emergenciais econômicas e trabalhistas são algumas das iniciativas já anunciadas para conter os impactos da pandemia no país e no segmento de viagens.

O intuito, segundo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, é que o documento seja compartilhado para dar ainda mais publicidade às iniciativas que vêm sendo desenvolvidas pelo governo federal, além de unificar as medidas de prevenção com informações oficiais e fidedignas para combater o coronavírus na nação brasileira.

“O Ministério do Turismo e o Governo Federal estão diuturnamente empenhados em proporcionar medidas que ajudem o nosso país neste momento de adversidade. A união de forças é essencial para enfrentarmos esses desafios e garantirmos que o turismo continue desempenhando um papel fundamental na geração de emprego e renda na nação brasileira”, destaca o ministro.