As políticas públicas que impulsionam o segmento audiovisual do Rio Grande do Sul serão apresentadas no 60º Festival Internacional de Cine de Cartagena de Índias, na Colômbia, que começa na quarta-feira (11/3). Criado em 1960, é o mais antigo evento cinematográfico da América Latina. Nesta edição, reúne lideranças políticas de vários países para discutir o futuro do audiovisual no continente.

O Rio Grande do Sul foi escolhido, juntamente com a cidade de Niterói (RJ), para apresentar projetos relevantes ao cenário audiovisual brasileiro. A secretária da Cultura, Beatriz Araujo, e o diretor do Instituto Estadual de Cinema (IECine), Zeca Brito, mostrarão os primeiros fechamentos do Núcleo de Pesquisa, Informação e Memória do Iecine, que dão conta da historiografia do cinema gaúcho. Também serão apresentados projetos estratégicos para o audiovisual no Estado, como o projeto de formação Cinema Negro em Ação, o programa de internacionalização Primavera Gaúcha e o edital Entre Fronteiras, realizado conjuntamente com a província argentina de Misiones, que também estará presente no evento.

A iniciativa do edital Entre Fronteiras foi destacada pelos organizadores do Festival de Cartagena e simboliza um modelo de cooperação bilateral e intercâmbio cultural que o Rio Grande do Sul também pretende estabelecer com instituições da Colômbia.

Beatriz terá agenda com autoridades de Cartagena e Medellín, cidade que transformou sua realidade social combatendo a violência por meio de investimentos em cultura e inovação. Ela encontrará a secretária de Cultura de Medellín, Lina Maria, e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Paola Vargas, responsável por alguns segmentoes destacados da economia criativa, como a Medellin Film Comission.

Texto: Ascom Sedac
Edição: Secom