O Programa Bolsa Juventude Rural, oferecido pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), teve o prazo para inscrições prorrogado até 30 de abril. Neste ano são 471 bolsas de estudo, sendo 200 para alunos do 2º ano e 271 para alunos do 3º ano do Ensino Médio. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar atua na divulgação, orientação para as inscrições e projeto produtivo e na execução do programa. O auxílio, de R$ 200 mensais, é pago por um período de dez meses.

A extensionista rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar Clarice Böck explica que a novidade desta edição é a necessidade de envio de um pré-projeto, junto à documentação mínima exigida pela lei. “Esse pré-projeto deverá servir de base para a elaboração do Projeto Produtivo, que é a contrapartida obrigatória apresentada pelo jovem durante o recebimento da bolsa. A medida visa qualificar o programa e auxiliar os jovens”, explica Clarice. Entre os projetos já desenvolvidos estão criação de galinhas de postura, hortas, apicultura, piscicultura, bovinos de leite e gestão da propriedade, entre outros.

“O programa permite a geração de uma atividade produtiva, do gosto dele, e no futuro traz renda, além de ser um incentivo para a permanência no campo”, diz Clarice.

Da mesma opinião é a extensionista rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar, Doriana Miotto, que atua na região de Passo Fundo. “Este programa dá visibilidade e coloca o jovem num status de administrador do seu recurso, da sua atividade. Além disso, os jovens participam de capacitações em ações desenvolvidas pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural em seus municípios. É uma forma de inserir o jovem, tanto na propriedade quanto na sociedade”, complementa Doriana.

Na região de Ijuí, que concentrou, no ano passado, 114 bolsas, o equivalente a 30% do total disponibilizado no Estado, a divulgação do programa tem sido intensa. “Os técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural têm dado apoio a esses jovens, é uma oportunidade que eles têm para desenvolver suas ideias”, disse a extensionista rural da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar, Isabel de Souza.

Os jovens beneficiados 

Para a jovem Maria Regina Cerbaro, do município de São Domingos do Sul, participar do programa foi a oportunidade de investir na propriedade com foco na atividade leiteira. Com o recurso do programa, ela comprou um notebook para realizar o acompanhamento dos índices zootécnicos, além de dar a ela condições de participar do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. Graças ao acompanhamento dos índices e o ajuste da dieta do gado, a produção leiteira crescimentou em pelo menos 20%. “O notebook, além de auxiliar nesse acompanhamento, foi de extrema importância para uma nova fase de minha vida, o ingresso em um ensino superior”, comemora Maria Regina.

Eduarda Matter, do interior de Bozano, foi contemplada pelo Bolsa Juventude no ano passado. Ela enxergou no programa a chance de realizar um sonho. “Sempre desejei trabalhar com tilapicultura, e foi através da bolsa que eu consegui realizar esse sonho. A bolsa acaba incentivando os jovens a permanecerem na agricultura, com seus pais”, afirma Eduarda.

Rafael Skovronski, morador da comunidade Linha Menegatti, do município de Centenário, região do Alto Uruguai, usou os recursos do projeto para compra de mudas de erva-mate para aumentar o erval da família. “Permaneço na propriedade nas atividades e também faço ações para os vizinhos, quando eles pedem ajuda. Minhas mudas estão crescendo. Ainda não tive o fechamento financeiro, mas o fato de ter aumentado o erval, no futuro vai produzir mais renda para a família. Pretendo permanecer na propriedade, cuidando dos meus pais e sendo feliz aqui”, disse Rafael.

Requisitos

Para participar, o jovem precisa atender a requisitos como estar matriculado(a) no segundo ou no terceiro anos do Ensino Médio, em escolas públicas estaduais ou em instituições sem fins lucrativos e de caráter comunitário, ter entre 15 e 29 anos, ter Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) ativa e baixa renda bruta familiar.

Para mais informações, é preciso procurar um Escritório Municipal da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar, lembrando, que neste momento, em virtude da pandemia da Covid-19, os atendimentos estão sendo feitos por ligação telefônica, WhatsApp ou e-mail. Os contatos dos escritórios municipais (EM) podem ser encontrados no site da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar.

Texto: Ascom Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/RS-Ascar
Edição: Secom