Em um momento crítico, de calamidade pública, os funcionários da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) transferiram seus departamentos para as suas casas nos últimos dias. O home office atende aos decretos do governador Eduardo Leite que preveem isolamento social para evitar a propagação da pandemia de Covid-19.

Os órgãos ambientais seguem conectados, porque as atividades essenciais não podem cessar e a proteção ao ambiente é uma delas. Em casa, as ferramentas tecnológicas se tornaram aliadas para que o Estado não pare. Diariamente ocorrem dezenas de videoconferências entre técnicos, diretores, presidente e secretário – que se reúnem para dar continuidade a projetos importantes para o RS.

Mais de 20 mil licenças ambientais estão em operação no Rio Grande do Sul para as mais diversas atividades as quais exigem monitoramento e fiscalização. Somente em março, as equipes da Fepam produziram mais 830 documentos licenciatórios, entre certificados, declarações, autorizações, licenças e indeferimentos. Cerca de 120 apenas na semana passada.

Para o secretário Artur Lemos Júnior, “mesmo em um momento de restrições à Covid-19, é preciso proporcionar a proteção da nossa biodiversidade, bem como garantir os recursos naturais para a geração de emprego, renda e progresso social para, após esse período, podermos retomar normalmente as atividades”.

As equipes seguem analisando licenças, monitorando os empreendimentos, atuando na fiscalização e nos atendimentos de emergência. Todos os departamentos vêm atendendo as demandas por e-mail ou telefone.

Clique aqui para acessar a lista de contatos

Texto: Bárbara Corrêa e Vanessa Trindade/Ascom Sema
Edição: Secom