A segunda etapa da chamada pública para o recebimento de propostas de suprimento de biometano foi concluída pela Sulgás. Nessa etapa, a companhia realizou a análise das propostas recebidas, considerando os critérios previstos no edital. Foram selecionadas, para terceira fase de negociação, todas as propostas de suprimento de biometano originário de produtos e resíduos agrossilvopastoris e comerciais, que se adequam ao definido na Resolução ANP Nº 08/2015.

Atualmente a Sulgás aguarda a conclusão de condição precedente prevista na alínea “(ii)” do item 10 do edital para dar continuidade ao certame, que pode ser acessado clicando aqui.

Lançado em 26 de março de 2019, o chamamento prevê um volume total de aquisição de aproximadamente 22 mil m³/dia, que poderão ser entregues em Montenegro, Lajeado e em clientes pontuais.

O que é o biometano

O biometano é um combustível alternativo, 100% renovável, produzido a partir da purificação do biogás gerado na transformação de resíduos orgânicos oriundos da atividade agrossilvopastoril, industrial e comercial, ou dos aterros sanitários e estações de tratamento de esgoto. Para ser vendido com as mesmas aplicações do gás natural, precisa ter as especificações determinadas em normas da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Além de ser uma fonte alternativa e complementar de suprimento, o biometano representa uma forma de disponibilizar o produto em regiões que, atualmente, não são atendidas pelo gás natural e assim interiorizar o uso de uma fonte de energia mais limpa e segura para a população. A Sulgás irá comercializar o biometano com a marca registrada GNVerde.

Texto: Janine Toma Ponte/Ascom Sulgás
Edição: Secom