Ebserh centraliza compras para apoiar hospitais no enfrentamento à Covid-19

Combate ao coronavírus

Ebserh centraliza compras para apoiar hospitais no enfrentamento à Covid-19

Desde março, chamamentos públicos têm sido realizados para a aquisição de equipamentos de proteção individual, medicamentos e outros materiais para toda a rede hospitalar

Para combater a pandemia de Covid-19, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional. Uma delas foi o apoio aos hospitais da rede por meio das compras centralizadas de equipamentos de proteção individual, medicamentos e outros materiais hospitalares.

Desde o mês de março, os contratos assinados para essas compras totalizaram R$ 112,4 milhões, além de R$ 8,8 milhões disponibilizados diretamente para os hospitais. Os recursos são parte da verba descentralizada pelo Ministério da Educação (MEC) entre março e abril, que totalizam R$ 274 milhões. O valor está sendo liberado de acordo com a demanda de cada hospital.

Entre os equipamentos comprados de forma centralizada estão aventais, toucas, máscaras, óculos, e luvas, além de álcool e kits de diagnóstico rápido de Covid-19. Também foram adquiridos medicamentos, materiais médico-hospitalares, ventiladores pulmonares e monitores multiparamétricos.

De acordo com o diretor de Administração e Infraestrutura da Rede Ebserh, Erlon Dengo, as compras centralizadas pela estatal são uma reserva estratégica para garantir o suprimento dos hospitais durante a intensificação da crise. “Os hospitais também foram orientados a manter o canal permanente de interação com os gestores de saúde locais para garantir o fluxo contínuo de abastecimento de suas unidades hospitalares pelo esforço centralizado do Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirma.

Com as compras centralizadas, modalidade de aquisição que busca alcançar várias vantagens competitivas, a Ebserh tem o objetivo garantir o fornecimento dos materiais e aumentar a economia nas compras. Para realizar a medida, foram efetuados diversos chamamentos públicos emergenciais.

Além das aquisições, os hospitais também podem investir os recursos em melhorias de infraestrutura, manutenção de equipamentos, contratos de hotelaria que podem ter algum crescimento de demanda (como limpeza, por exemplo), capacitações e outros.

“Para materiais de consumo, não há nenhuma restrição à compra direta pelos hospitais. Já para alguns casos específicos, como os equipamentos, devem ser apresentadas justificativas para a administração central da Ebserh, de modo a evitar conflitos e concorrências de compras de itens estratégicos dentro da rede, frente à escassez de alguns equipamentos no mercado”, explicou o diretor.

Atuação da Rede Ebserh – Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhado em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação. 

Também tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promovendo webaulas, definindo fluxos e instituindo câmaras técnicas de discussões com especialistas. A Rede realizou processo seletivo emergencial com a possibilidade de contratação de, aproximadamente, 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência no enfrentamento à Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Ebserh

Leia mais: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=89211:ebserh-centraliza-compras-para-apoiar-hospitais-no-enfrentamento-a-covid-19&catid=33481