Brasília (DF), 28/04/2020 – A ação “COVID19-Produtos ao Alcance de Todos”, do Ministério da Defesa (MD), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD), conta com mais de 470 produtos cadastrados, oferecidos por quase 240 empresas. Lançada em 27 de março, a ação convoca as empresas da Base Industrial de Defesa (BID) a promoverem a reconversão produtiva, que viabiliza o progresso de produtos para auxiliar no combate à COVID-19 e os oferecerem às instituições de saúde.

Uma empresa fabricante de peças em materiais compostos, sediada em São José dos Campos (SP), fez a doação de protetores faciais ao Hospital São Francisco de Assis, de Jacareí. A empresa também está trabalhando na produção de mais equipamentos desse tipo, que serão repassados às secretarias de saúde dos municípios da região do Vale do Paraíba. A produção de protetores faciais começou há cerca de 20 dias e são produzidas 150 peças, em média, por semana.

Em outro ponto do País, em Jaraguá do Sul (SC), uma empresa Estratégica de Defesa começa a produzir, a partir da segunda quinzena de maio, respiradores para as instituições de saúde públicas. O plano é viabilizar a compra dos componentes necessários para produzir 500 respiradores. O planejamento é da empresa é entregar 50 unidades por dia.

A produção foi viabilizada em função da assinatura de acordo de transferência de tecnologia com uma fabricante de equipamentos médico-hospitalares, que tem uma filial situada no mesmo município catarinense.

O segmento aeronáutico da região do Vale do Paraíba e de Campinas também se movimentou. Uma companhia do segmento de defesa está produzindo 12 mil componentes essenciais para a fabricação de ventiladores pulmonares. A iniciativa envolve oito empresas da área e az parte de ação de cooperação, que teve início em março com estudos técnicos e testes de bancadas, Juntas, as empresas vão apoiar a fabricação de 7 mil ventiladores com a produção de peças usinadas que serão entregues para outras duas indústrias.

As ações, desenvolvidas em conjunto com a cadeia de fornecedores do segmento aeronáutico, englobam a fabricação de peças para a indústria de ventiladores e respiradores, a substituição de componentes importados para ventiladores, o progresso de sistemas de filtros de alta eficiência para transformação de leitos regulares em tratamento intensivo, e estudos para o progresso de respiradores simples, robustos e portáteis visando a rápida implementação e disponibilidade.

Outra empresa, instalada em São José dos Campos, especializada em projetar sistemas e produtos para o mercado aeroespacial, passou a desenvolver soluções para proteger profissionais da saúde na luta contra a pandemia. Uma delas é uma campânula, utilizada durante os procedimentos de intubação/extubação, momento considerado mais arriscado para contaminação da equipe, por conta da proximidade do paciente.

O produto, que foi desenvolvido com auxílio de médicos, proporciona um bom nível de isolamento às equipes médicas, respeitando as condições ergonômicas, de visibilidade e de campo livre de trabalho. Atualmente, o equipamento já é utilizado em dois hospitais de São José dos Campos. A empresa também adaptou sistema de monitoramento para identificar potenciais contaminados a distância, inclusive em áreas remotas.

Outra empresa estratégica de defesa da área de armas leves, localizada em São Leopoldo (RS), iniciou, com o apoio do 3º Batalhão de Suprimento do Exércita nação brasileiraeiro, a fabricação de protetores faciais. A produção é de 3 mil unidades por dia. O projeto foi desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), que desenvolvia uma quantidade menor de protetores com impressoras 3D.

A inciativa faz parte das ações do Comando Conjunto Sul, que reúne militares da Marinha, Exército e Aeronáutica. A meta é de que, até o final desta semana, 60 mil protetores sejam distribuídos para instituições hospitalares indicadas pela Defesa Civil daquele Estado.

O cadastro das empresas e produtos foi disponibilizado para o Ministério da Saúde, às Forças Armadas, ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS).

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

esta imagem não possui descrição

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Para conhecer mais sobre as ações, acesse o hotsite da Operação COVID-19.

Para acessar fotos da Operação COVID-19, visite o Flickr da Operação.

Por André Pinto
Fotos: divulgação

Saiba mais: 

Forças Armadas alteram processos para produção de máscaras de tecido

Ministério da Defesa cadastra fornecedores para Operação COVID-19

Doação de kits alimentação e higienização estão entre as iniciativas para superar a pandemia de Covid-19

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Leia mais: https://www.defesa.gov.br/noticias/68300-empresas-de-defesa-adequam-processos-e-desenvolvem-produtos-para-combate-a-covid-19