CORONAVÍRUS

A carga chegou aa nação brasileira junto com mais 1 milhão de testes rápidos e 2.259 óculos de proteção. Os equipamentos e insumos foram doados pela Vale

O Ministério da Saúde recebeu, nesta quinta-feira (9/4), mais 1 milhão de máscaras usadas para garantir a proteção de profissionais de saúde no atendimento a pacientes com coronavírus (COVID-19). Também fazem parte da carga que chegou hoje aa nação brasileira 1 milhão de testes rápidos sorológicos e 2.250 óculos. Esses equipamentos e insumos fazem parte de um total de 15,8 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de 5 milhões de testes rápidos doados ao Ministério da Saúde pela empresa Vale.

Do total de 1 milhão de testes rápidos já em solo brasileiro, 570 mil vão para os estados, 180 mil para pesquisas e 247 mil para estoque estratégico do Ministério da Saúde.


Leia também:


Os testes rápidos irão atender os profissionais que atuam nos serviços de saúde de todo o país, além de agentes de segurança, como policiais, bombeiros e guardas civis com sintomas de síndrome gripal. A iniciativa permite que grupos que prestam serviços essenciais, e que são mais expostos à transmissão do coronavírus, possam realizar o teste e retornar ao trabalho em menos tempo e com segurança, sem a necessidade de aguardar 14 dias de isolamento.

O primeiro lote de 500 mil testes rápidos já havia chegado aa nação brasileira no dia 30 de março e já foram distribuídos para todos os estados do país. Estes testes devem atender os profissionais que atuam nos serviços de saúde de todo o país, além de agentes de segurança, como policiais, bombeiros e guardas civis com sintomas de síndrome gripal. A iniciativa permite que estes profissionais, que estão na linha de frente e fazem parte de serviços essenciais, possam realizar o teste e, uma vez que não apresentem mais sintomas da doença, possam retornar ao trabalho em menos tempo, com segurança, sem que precisem aguardar os 14 dias de isolamento preconizado.

Além dos testes rápidos, o Ministério da Saúde já distribuiu 451,4 mil testes RT-PCR (biologia molecular) aos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN) de todo o país, além dos laboratórios de referência nacional. O quantitativo faz parte das aquisições já entregues ao Ministério da Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz – Fiocruz (104.872), Instituto de Biologia Molecular do Paraná – IBMP (45.560) e doação da Petrobrás (300 mil).

Testes

Os testes rápidos são realizados apenas após o sétimo dia do início dos sintomas respiratórios, como tosse, dificuldade para respirar, congestão nasal e dor de garganta. Com fechamento em até 20 minutos, o teste rápido detecta a presença de anticorpos (IgG e IgM), que são defesas produzidas pelo corpo humano contra o vírus Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2. Esse é um teste qualitativo para triagem e deve ser usado como uma ferramenta para auxílio no diagnóstico da COVID-19.

Já o teste RT-PCR identifica o vírus que provoca a COVID-19 logo no início dos sintomas, ou seja, no período em que ainda está agindo no organismo. Ele é usado para diagnosticar casos graves internados com a doença. Além disso, é utilizado na Rede Sentinela, que acompanha por amostragem a evolução da doença na nação brasileira, como os sintomas dos casos associados ao vírus tanto em quadros graves, na Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), quanto em casos leves, na Síndrome Gripal (SG).

Saiba mais sobre coronavírus acessando nossa página especial

Por Vanessa Aquino, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2351 / 3713