Brasília 07/04/2020 – Após a recomendação do Ministério da Saúde sobre o uso de máscaras pela população em geral, algumas Organizações Militares iniciaram a produção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), como máscaras de tecido, toucas e aventais descartáveis, para a proteção de suas tropas.

O Parque Regional de Manutenção da 3ª Região Militar do Exército, localizado na cidade de Santa-Maria (RS), é um exemplo de organização militar que adotou a medida com a produção de cerca de 200 máscaras por dia. “A iniciativa foi visualizada em função das restrições que estamos vendo no País, somado às ações de apoio à Operação COVID-19, onde identificamos que um ponto crítico será os Equipamentos de Proteção Individual”, informou o Coronel André Monteiro Gusmão, Diretor do Parque.

Em Curitiba (PR), no Parque Regional de Manutenção da 5ª Região Militar do Exército também foi implantada a ação. Por meio de estudos técnicos, foram adquiridos insumos para a confecção das máscaras descartáveis de tecido não tecido (TNT) a serem utilizadas pelas tropas empenhadas no apoio às ações de combate à Covid-19.

“A produção teve início, experimentalmente, em 02 de abril, com cerca de até 300 máscaras por dia. A estimativa é aumentar para até 600 por dia”, avaliou o Coronel Marcelo Sérgio Cabral, Comandante da Organização Militar.

Os materiais confeccionados seguem as recomendações do Ministério da Saúde e estão numa linha de produção acelerada a fim de que todas as tropas as utilizem quando forem empregadas. A princípio, o material tem sido reservado aos militares que estão em missões nas ruas, já que os materiais utilizados são de tecido de algodão ou TNT comum. O objetivo é preservar o material hospitalar, escasso já em muitas regiões, para uso de militares do serviço de saúde.

Máscaras de proteção em acrílico

Militares da Marinha e do Exército, em Natal, apoiaram nesta terça-feira (7) o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis para confeccionar máscaras de proteção em acrílico. O material será doado às instituições que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, no Rio Grande do Norte. Até o momento, o Instituto está atuando na produção de máscaras com a cooperação voluntária de colaboradores. Os militares receberão a orientação da equipe na confecção das máscaras para ajudar na produção.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à Covid-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia e recebeu o nome de Operação Covid-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliar a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Para conhecer mais sobre as ações, acesse o hotsite da Operação Covid-19.

Saiba mais:

Instituto Militar de Engenharia direciona produção de impressora 3D para confecção de máscaras

HFA alia medicina e tecnologia no combate ao coronavírus

Impressoras 3D produzem máscaras para proteção de profissionais da saúde

Por Tenente Franklin

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Leia mais: https://www.defesa.gov.br/noticias/67729-militares-confeccionam-mascaras-de-tecido-e-de-tnt-para-prevencao-contra-o-coronavirus