CORONAVÍRUS

Medidas estão sendo tratadas em conjunto com bancos públicos e Ministério da Economia

Por Victor Maciel

01_04_ministro.jpeg

Representante do governo federal Marcelo Álvaro e equipe do MTur em videoconferência com representantes da Caixa e BNDES. Crédito: Dênio Simões/MTur

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, se reuniu na manhã desta quarta-feira (01) com representantes da Caixa e do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para facilitar e agilizar o acesso de linhas de crédito para pequenos e médios empresários do trade turístico e de segmentos da cultura. A conversa é mais uma ação da Pasta, que tem trabalhado junto aos bancos, para que esses recursos possam estar disponíveis para a cadeia dos dois segmentoes.

Para Álvaro Antônio, é importante que os representantes do trade tenham de forma mais rápida a liberação deste crédito. “Precisamos ter uma resposta o quanto antes para que possamos dar ao nosso segmento um respiro e para os brasileiros que possuem ocupações no Turismo segurança de que continuarão com seu trabalho e com sua renda. Não vamos sossegar enquanto isso não estiver resolvido”, destacou.

O vice-presidente de Varejo da Caixa, Jeyson Cordeiro, pontuou o empenho do banco público em disponibilizar recursos para os segmentoes. “Colocamos à disposição linhas de capital de giro próprias e redução de taxas de juros. Estamos ainda conversando sobre a criação de linhas especiais e uma parceria com o Sebrae, para que possamos pulverizar a liberação desse recurso”, disse.

O Chefe do Departamento de Relação ao Governo do BNDES, Victor Burns, destacou a necessidade de se trabalhar na comunicação para que se possa facilitar esta liberação. “Sugiro trabalharmos com foco na comunicação daquilo que está sendo lançado, que se trate de uma forma que o indivídual lá na ponta entenda. Seria importante que os representantes também ajudassem nessa comunicação entre estruturas que vão operar isso”, concluiu.

Entre os assuntos, também, foi discutida a capitalização do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) junto ao BNDES e a criação de linha de crédito emergencial para as empresas de cinema. Além dos bancos públicos, o Ministério do Turismo está trabalhando em tratativas com o Ministério da Economia, para que tenhamos o quanto antes a disponibilização de linhas de crédito para o segmento.

CULTURA – Ainda na conversa, foram tratados assuntos sobre a criação de uma linha de crédito focada na manutenção de ocupações e pagamento de fornecedores, das empresas de cinema do país. Para isso, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio se comprometeu a reunir o comitê gestor do Fundo Geral da Cultura para a modulação desses recursos para salvar este segmento.