O cuidado ambiental não pode parar

A pandemia de Covid-19 ocasiona uma série de medidas adotadas pelos diferentes atores da sociedade para prevenir e enfrentar a sua propagação. Entre as quais, ações que restringem temporariamente serviços e acabam por impactar, sensivelmente, na vida de todos os gaúchos, especialmente em termos econômicos, porém com o propósito maior de salvar vidas.

No rol de serviços essenciais a serem mantidos, juntamente à assistência à saúde, à segurança pública e aos serviços de distribuição de água e luz, o governo estadual não prescindiu de dar continuidade à proteção e fiscalização ambiental.

Acreditamos que é preciso “desenvolver para proteger”, porque o desenvolvimento socioeconômico promove condições, especialmente financeiras, para ampliar e fortalecer a proteção dos nossos recursos hídricos e da biodiversidade. Por outro lado, com o surgimento desse grande obstáculo que impacta a manutenção das atividades econômicas em sua dinâmica, não podemos deixar de “proteger para desenvolver”.

Equipes da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura, da Fundação Estadual de Proteção Ambiental e dos demais entes que integram o Sistema Estadual de Proteção Ambiental (Sisepra) permanecem atuando na gestão de unidades de conservação, na análise de processos de licenciamento ambiental, na fiscalização das atividades e patrulhamento ostensivo, na apuração de denúncias de irregularidades e de prontidão para atuar nas emergências ambientais.

Temos o compromisso de, uma vez contida a pandemia, garantir que a nossa biodiversidade estará conservada para contribuir com a saúde e o bem-estar das gerações atuais e futuras, bem como proporcionar os recursos naturais para a geração de emprego, renda e desenvolvimento social, observando a racionalidade e as normas ambientais.

Juntos, cada um fazendo a sua parte, a população gaúcha e brasileira superará essa adversidade.

Secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura