COVID-19

Cerca de 33 mil indivíduos de 133 municípios brasileiros serão testadas para coronavírus. A pesquisa irá medir o nível de imunização da população a doença

O Ministério da Saúde está apoiando uma pesquisa liderada pelo Centro de Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que irá medir o nível de imunização da população brasileira ao coronavírus. A ideia é identificar de que forma o vírus está se propagando em todo a nação brasileira. Com o fechamento do estudo será possível criar políticas públicas mais eficientes e baseadas em critérios científicos sobre o comportamento do coronavírus no território brasileiro.

Para viabilizar a pesquisa, o Ministério da Saúde irá disponibilizar testes rápidos de coronavírus para a instituição, além de apoio para contratação de empresa de pesquisa que fará as entrevistas com os participantes. O objetivo é submeter cerca de 33 mil indivíduos de 133 municípios brasileiros ao teste rápido que detecta a presença de anticorpos IgM (de infecção mais recente) e IgC (de infecção mais antiga) a partir de amostras de sangue coletadas.

“O objetivo é testar a presença de anticorpos. Com esse inquérito epidemiológico, conseguiremos saber com que velocidade estamos ganhando anticorpo contra a doença para que a gente tenha confiança em saber que a nossa população está andando no ritmo de autovacinação. Tem muita gente assintomática que ganha anticorpos ou mesmo indivíduos com sintomas leves e, por isso, nem procuram atendimento. Temos ainda as formas intensas, graves e críticas. É o somatório disso que nos dará a imunidade”, explica o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

As equipes que trabalharão na pesquisa vão atuar nas ruas com o objetivo de esclarecer três questões sobre o vírus na nação brasileira: a quantidade de infectados, a velocidade com que o vírus tem se espalhado e a taxa de letalidade da COVID-19 na região.

PROJETO PILOTO NO RIO GRANDE DO SUL

O projeto piloto teve início na semana passada (6/4) no estado do Rio Grande do Sul. Os pesquisadores dividiram o território gaúcho em oito regiões intermediárias definidas pelo Instituta nação brasileiraeiro de Geografia e Estatística (IBGE): Porto Alegre e região metropolitana, Pelotas, Santa Maria, Uruguaiana, Ijuí, Passo Fundo, Caxias e Santa Cruz do Sul/Lajeado.

Um total de 18 mil indivíduos já começaram a ser entrevistadas e farão o teste rápido para o coronavírus. Em cada município, a pesquisa sorteará aleatoriamente 25 segmentoes para coleta de dados. Em seguida, sorteará dez residências em cada segmento e um morador de cada casa, completando 250 indivíduos por município.

Enquanto aguardam pelo fechamento, os entrevistados também responderão a um questionário sociodemográfico e indicarão se estão sentindo sintomas característicos da COVID-19. Além disso, todos os participantes receberão orientações sobre assistência médica e isolamento social.

Por Nicole Beraldo, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa

(61) 3315-2745 / 3580 / 2351