COVID-19

Mais 13 voluntários da Força Nacional do SUS receberam treinamento em Brasília (DF) e seguiram na manhã desta quinta-feira (23) para Manaus (AM), para reforçar o atendimento devido à COVID-19

Foto: Divulgação DAHU/SAES/MS

Uma nova equipe composta por 13 profissionais (2 fisioterapeutas, 3 médicos e 8 enfermeiros) saíram na manhã desta quinta-feira (23) de Brasília e seguiram para a capital amazonense. A equipe vai reforçar, no período de sete a dez dias, a capacidade de atendimento à população em decorrência da pandemia do coronavírus. O município de Manaus encontra-se com capacidade de atendimento hospitalar próximo ao limite, devido à pandemia da COVID-19. Antes de embarcarem, os voluntários da Força Nacional do SUS passaram por um dia de treinamento realizado pelo Ministério da Saúde. Com mais esse grupo, somam-se 25 profissionais de outras localidades que estão indo atuar no Amazonas.

Os profissionais da saúde estarão à disposição da Secretaria de Saúde e irão trabalhar nos hospitais de referência do Amazonas. O gestor local definirá onde esses profissionais podem ajudar. 

Antes de embarcar, os 13 profissionais receberam, na quarta-feira (22), no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UNB), em Brasília, treinamento de 06 horas, ministrado por profissionais do Ministério da Saúde em parceria com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). O curso contemplou procedimentos, como ressureição cardio- respiratória, entubação em vias aéreas difíceis, ventilação mecânica, cuidados com o corpo, triagem e classificação, paramentação e desparamentação.

Mais de 8,2 mil profissionais de saúde do país se voluntariaram para integrar a Força Nacional do SUS, para o combate a COVID-19.

PRIMEIRA TURMA

A primeira turma de profissionais que foram representar o Ministério da Saúde foi selecionada e já estão em atividade desde o dia 16 de abril. No primeiro envio de profissionais foram cinco médicos e 12 enfermeiros de seis estados (RJ, GO, DF, MG, SP e TO), que reforçaram o atendimento no Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na capital do Amazonas.

O Ministério da Saúde também disponibilizou aos profissionais de saúde, que atuam no estado, uma plataforma online que auxilia no atendimento dos casos. A estratégia Tele-UTI permite que os médicos possam discutir com outros médicos, por meio virtual, a conduta clínica e análise de caso de cada paciente internado nos leitos de UTI. A iniciativa é uma parceria do Ministério da Saúde com hospitais do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (ProadiSUS), são eles: Hospital Alemão Oswaldo Cruz, HCor, Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Moinhos de Vento e Hospital Sírio-Libanês.

EQUIPAMENTOS

O Ministério da Saúde distribuiu para o estado do Amazonas 1,2 milhão Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para apoiar os profissionais de saúde na assistência prestada aos pacientes: 412.800 máscaras cirúrgicas, 24.800 máscaras N95, 22.083 aventais, 455.048 luvas, 1.340 óculos de proteção, 258 mil sapatilhas e toucas, além de 1.714 unidades de álcool em gel.

Também foram enviados ao estado 35 respiradores. Estes equipamentos são usados no tratamento de pacientes graves, internados.

Por fim, o Ministério da Saúde também distribuiu 8.072 testes RT-PCR (biologia molecular) e mais 321.180 testes rápidos (sorológicos) para ampliar a capacidade do estado no diagnóstico de casos de coronavírus.

RECURSOS

Desde o início da pandemia, foram repassados ao estado do Amazonas R$ 68,5 milhões destinados ao fortalecimento da rede hospitalar e de Atenção Primária no combate à doença, incluindo o incentivo de R$ 2,7 milhões para ampliação do horário de funcionamento dos postos de saúde (Saúde na Hora).

Saiba mais sobre coronavírus acessando nossa página especial

Por Bruno Cassiano, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3580 / 2745 / 2351