MEC e Congresso

Ações para educação profissional durante pandemia são tema de reunião com comissão da Câmara

Secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Ariosto Antunes, apresentou as iniciativas em encontro on-line com deputados federais

Em reunião on-line nesta quinta-feira, 7 de maio, deputados federais conheceram as medidas que foram adotadas pelo Ministério da Educação (MEC) para garantir a continuidade do ensino e da qualificação técnica em institutos federais, Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) e escolas técnicas, por exemplo. As ações foram detalhadas pelo secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Ariosto Antunes Culau, a parlamentares que integram comissão externa da Câmara que acompanha os trabalhos da pasta.

Entre as medidas destacadas pelo secretário estão:

  • A criação do Comitê Operativo de Emergência (COE), que de forma integrada com o Consed e a Undime trabalha as principais diretrizes para a rede de ensino do país estão sendo definidas no âmbito do grupo;
  • A implementação do sistema de monitoramento de casos de coronavírus nas instituições de ensino, plataforma on-line que monitora o funcionamento e as principais ações das universidades, dos institutos federais, dos Cefets e do Colégio Pedro II durante a pandemia; 
  • Publicação de portaria que autorizou instituições integrantes do sistema federal de ensino a suspenderem, em caráter excepcional, as aulas presenciais dos cursos de educação profissional técnica de ensino médio em andamento, ou optem por atividades não presenciais substitutivas, por até 60 dias;
  • O investimento de R$ 60 milhões para incentivar a abertura de 122 mil vagas em cursos de qualificação profissional a distância na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica até junho no país.

O secretário ainda destacou que o MEC incentivou medidas de combate ao coronavírus com a abertura de crédito extraordinário no valor de R$ 24,7 milhões. Com os recursos, institutos puderam produzir álcool em gel, equipamentos de proteção individual e pesquisas sobre a pandemia. “Cerca de 80% desses recursos já foram liberados e as instituições já puderem executar as atividades propostas”, explica.

De acordo com Culau, as medidas não visam apenas a implementação da educação a distância, mas a incorporação de recursos tecnológicos para modelos de aprendizagem híbridos que possam ser utilizados após a pandemia de coronavírus. “Queremos transformar essa experiência de curto prazo em algo que possa ser estendido, permitindo a facilitação em novos ambientes de aprendizagens”, explica.

Participaram da reunião os deputados federais João Campos (PSB-PE), Tabata Amaral (PDT-SP), Felipe Rigoni (PSB-ES), Luisa Canziani (PTB-PR), Tiago Mitraud (NOVO-MG), Aliel Machado (PSB/PR), professor Israel (PV-DF) e Eduardo Bismarck (PDT/CE).

Para o coordenador da comissão externa da Câmara, João Campos, a reunião foi uma oportunidade de discutir os desafios para o presente e os desenhos para o futuro com relação à pandemia do novo coronavírus. “Estou feliz em fazer essa reunião e colocar a qualificação profissional, tão importante para o país, em pauta”, afirmou.

Assessoria de Comunicação Social

Leia mais: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=89501:acoes-para-educacao-profissional-durante-pandemia-sao-tema-de-reuniao-com-comissao-da-camara&catid=209