Covid-19: militares fazem limpeza de presídio em Brasília

Cerca de 70 militares da Marinha, do Exército e da Força Nacional fizeram um trabalho de descontaminação do PDF-1, um dos quatro presídios que compõem o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

De acordo com o porta-voz do Comando Conjunto do Planalto, tenente-coronel Marcos Boaventura, ações similares, de limpeza preventiva contra o novo coronavírus, causador da covid-19, já vêm sendo colocadas em ação pelos militares do comando em outros locais do Distrito Federal (DF), como rodoviárias, aeroporto e hospitais. Amanhã (13) será higienizado o Hemocentro de Brasília.

Não houve, segundo Boaventura, qualquer contato entre os militares e os presos contaminados pelo vírus. “Eles já haviam sido retirados do local e levados à área destinada a acompanhamento e tratamento”, disse ele à Agência Brasil.

O porta-voz informou que os presos foram retirados das celas e colocados, com seus pertences, na área destinada a banho de sol, enquanto os militares aplicavam um produto à base de hipoclorito de sódio nas celas, além de uma mistura com água sanitária.

“Tudo ocorreu conforme o planejado. Chegamos às 8h, começamos a limpeza às 9h e, ao meio-dia, já havíamos terminado”, acrescentou Boaventura. Segundo o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), há cerca de 16,5 mil presos no Complexo da Papuda.

Balanço comunicado no dia 8 deste mês pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) informava que, até então, 279 reeducandos estavam com a covid-19 e que 90 estariam recuperados. Quanto aos policiais penais, 110 tiveram fechamento positivo em testes para o novo coronavírus e 41 já haviam se recuperado.

A Agência Brasil tentou obter do GDF números mais atualizados sobre a quantidade de contaminados nos quatro presídios que compõem o complexo da Papuda, mas, até o fechamento da reportagem, não obteve retorno à demanda.

Créditos: Agência Brasil