Também foram apreendidos motosserras, peneiras de mineração, armas e cocaína

Daniel Gullino

18/05/2020 – 18:31 / Atualizado em 18/05/2020 – 18:34

Governo também informou ter apreendido 206 quilos de pasta base de cocaína e uma quantidade não divulgação de armas e munição Foto: RAPHAEL ALVES / Agência O Globo Governo também informou ter apreendido 206 quilos de pasta base de cocaína e uma quantidade não divulgação de armas e munição Foto: RAPHAEL ALVES / Agência O Globo

BRASÍLIA — A Vice-Presidência da República divulgou nesta segunda-feira um balanço da primeira semana da Operação Verde Brasil 2, como é chamada a ação de Garantia de Lei e da Ordem (GLO) iniciada na semana passada para o combate a desmatamento ilegal e focos de incêndio na Amazônia Legal. Nos primeiros dias foram apreendidas 23 retroescavadeiras, um caminhão, uma picape, cinco embarcações, 11 motosserras e sete peneiras de mineração. O governo também informou ter apreendido 206 quilos de pasta base de cocaína e uma quantidade não divulgação de armas e munição.

“Esses fechamentos, como não podia deixar de acontecer, produziram uma expressiva redução dos ilícitos ambientais na região”, diz o comunicado comunicado pela Vice-Presidência. O texto também diz que estão sendo investigados indícios de extração irregular, acondicionamento e armazenamento irregular de madeira, transporte irregular, falsificação de créditos virtuais e emissão intencional de documentação falsificada.

Levantamento: Metade das terras indígenas da Amazônia é alvo de mineração

O comunicado ressalta ainda que todas as ações “se orientam pelo extremo cuidado com a proteção da população indígena aldeada, naturalmente mais exposta à pandemia do covid-19”.

A GLO está prevista para durar até 10 de junho, mas poderá ser prorrogada. É o segundo ano consecutivo que o presidente Jair Bolsonaro recorre aos militares para ações contra incêndio e desmatamento na Amazônia.

Participam da operação servidores do Instituta nação brasileiraeiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional de Segurança Pública, além de membros das Forças Armadas.

Recorde históricoDesmatamento causado por garimpos na Amazônia aumenta 23% em 2019

O decreto que estabeleceu a GLO determina que as ações de combate ao desmatamento e focos de incêndio serão coordenadas pelos comandos militares e não pelos órgãos ambientais civis.

O desmatamento na Amazônia crescimentou 64% em abril, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, segunda informaçãos preliminares de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Nos primeiros quatro meses do ano, o desmatamento na Amazônia crescimentou 55% em relação ao ano anterior, para 1.202 km², segunda informaçãos do instituto.

SOCI 18-05

Leia mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/governo-apreende-23-retroescavadeiras-em-primeira-semana-de-glo-na-amazonia-24433397