Brasília (DF), 23/05/2020 – O emprego da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) foi autorizado até o fim da Operação Verde Brasil 2. Os policiais militares reforçam as ações de fiscalização, repressão ao desmatamento ilegal e demais crimes ambientais e de combate aos incêndios florestais e às queimadas, entre outras necessidades da Operação. A autorização foi publicada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública por meio da Portaria Nº 265, autorizando o uso da FNSP.

Ao chegar na capital de Rondônia, os militares passaram por Ciclo de Atualização Doutrinária de 13 a 20 de maio. As instruções ocorreram no 5º Batalhão de Engenharia de Construção, e capacitou o efetivo em temas como articulação do Exército, área de responsabilidade da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, características da faixa de fronteira, crimes transfronteiriços e ambientais, aspectos jurídicos nas Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), técnicas aeromóveis e orientação quanto a saúde e higidez da tropa no contexto da pandemia COVID-19.

As ações da Verde Brasil 2, ocorrem em ambiente interagências e com a integração entre instituições federais, órgãos de segurança pública e fiscalização e entidades públicas de proteção ambiental. Para a Operação, o Ministério da Defesa disponibilizou 3.815 militares, 110 viaturas, 20 embarcações e 12 aeronaves.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020, e tem validade para o período de 11 de maio a 10 de junho do corrente ano.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA). Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF). Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituta nação brasileiraeiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Por Tenente Felipe Bueno, com Comandos Conjuntos
Fotos: Divulgação das Forças Armadas

Saiba mais:

Intensificação de vistorias reprime delitos ambientais na Amazônia Legal
Apreensões de madeira e caminhões em Mato Grosso somam R$ 10,5 milhões
Operação Verde Brasil 2 também coíbe crimes não ambientais
Ações deflagradas na Amazônia Legal apreendem madeira e drogas

Para acessar fotos da Operação Verde Brasil 2, visite o Flickr da Operação.

Confira os destaques da semana:

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
(61) 3312-4071

Leia mais: https://www.defesa.gov.br/noticias/69256-militares-da-forca-nacional-reforcam-atuacao-para-reprimir-delitos-ambientais-na-amazonia-legal2