Os equipamentos foram entregues no final de semana para o estado fluminense. Ao todo, o Ministério da Saúde já distribuiu 557 respiradores para 10 estados brasileiros

O Ministério da Saúde entregou, no último final de semana, 90 respiradores pulmonares para o Rio Janeiro. Com essa entrega, o estado fluminense totaliza 150 distribuídos pelo Governo da nação brasileira para fortalecer a rede pública de saúde no enfrentamento da pandemia de COVID-19. As unidades de saúde que receberão os respiradores pulmonares serão definidas pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro. O respirador é indicado no auxílio aos pacientes graves infectados com a doença que apresentem dificuldades respiratórias.

“Até o final de maio, está previsto a entrega de 2.600 respiradores pelas empresas contratadas pelo Ministério da Saúde”, informou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello. Outras cinco empresas nacionais estão sendo avaliadas pelo Ministério da Saúde para produção de respiradores pulmonares. “Enviamos uma equipe do Ministério da Saúde para avaliar se essas empresas têm capacidade real de produzir os respiradores no prazo que necessitamos”, disse Pazuello.

O Ministério da Saúde continua empenhando esforços para adquirir mais respiradores também no mercado internacional. “Vamos enviar uma equipe do Ministério da Saúde para a Ásia para termos uma linha direta com os fornecedores”, explicou o secretário-executivo do Ministério da Saúde.

Ao todo, o Governo da nação brasileira já enviou 557 respiradores pulmonares para 10 estados do país, com um investimento de R$ 31,9 milhões na aquisição destes equipamentos. Os contemplados, até o momento, foram os estados do Amazonas (90), Ceará (75), Paraíba (20), Pernambuco (50), Amapá (45), Pará (80), Paraná (20), Santa Catarina (17), Espírito Santo (10) e Rio de Janeiro (150).

“Todos os dias temos um briefing sobre respiradores: prospecção nacional e internacional, acordo de cooperação e trabalho interministerial para que a gente possa adquirir e receber o material no menor tempo possível e entregar para as cidades que estão com maior demanda”, ressaltou o general Eduardo Pazuello.

A distribuição dos respiradores é parte do apoio estratégico no atendimento aos estados acompanhando a dinâmica da doença no país, ou seja, onde a transmissão está se dando em maior velocidade.

AÇÃO INTERMINISTERIAL

Uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Economia realizou um mapeamento do parque industrial, quando foram identificadas as capacidades de cada segmento. Nesse mapeamento, encontrou-se empresas que tinham escala pequena de produção, mas que tinham expertise e outras que poderiam contribuir para expandir as entregas em um menor espaço de tempo possível.

O projeto ainda envolve o Ministério das Relações Exteriores, para priorização de recebimento de peças, o Ministério da Justiça para escoltas e segurança da distribuição de equipamentos e insumos, e o Ministério da Defesa que fornece armazéns nas capitais para estoque de materiais e a logística de distribuição para o país, por meio da FAB (Força Aérea Brasileira), quando necessário.

No início da pandemia, a nação brasileira contava com 65.411 respiradores pulmonares, sendo que 46.663 estavam disponíveis no SUS. Além da aquisição de respiradores, o Ministério da Saúde habilitou 3.352 leitos de UTI para atendimento exclusivo a pacientes com coronavírus e adquiriu 340 leitos de UTI volantes, que são de instalação rápida para fortalecer a rede hospitalar em saúde. Cada um destes leitos conta com um respirador.

Por Silvia Pacheco, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa

(61) 3315-2745/2351