Não faltam leitos no estado, mas um a cada cinco internados em UTI morrem

Cleide Carvalho e Ana Letícia Leão

14/05/2020 – 15:19 / Atualizado em 14/05/2020 – 15:34

Trânsito de veiculos na Avenida das Juntas Provisorias durante quarentena devido a pandemia do novo coronavirus (covid-19), no bairro do Ipiranga, zona sul da cidade de Sao Paulo. Foto: Anderson Lira / FramePhoto / Agência O Globo ) Brasil Foto: FramePhoto / Agência O Globo Trânsito de veiculos na Avenida das Juntas Provisorias durante quarentena devido a pandemia do novo coronavirus (covid-19), no bairro do Ipiranga, zona sul da cidade de Sao Paulo. Foto: Anderson Lira / FramePhoto / Agência O Globo ) Brasil Foto: FramePhoto / Agência O Globo

SÃO PAULO – O estado de São Paulo se aproxima da marca de 55 mil infectados pelo coronavírus e a quantidade de casos tende a aumentar nas próximas semanas, segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantã e coordenador do Centro de Contigência do Coronavírus no estado. A quantidade de infectados já supera a população de 516 dos 645 municípios paulistas.

Mais: ‘Se não tomarmos medidas agora, será tarde’, diz coordenador do comitê do coronavírus em SP sobre queda no isolamento

O número de infectados no estado já é maior que cidades como Campos do Jordão, que tem 51 mil habitantes. A expectativa em relação ao avanço da doença tem como base a taxa de isolamento no estado, que se mantém abaixo de 50%. Na Grande São Paulo, o índice ficou em 48% ontem. No interior do estado, em 47%.

– Os números de hoje refletem o que aconteceu duas semanas atrás, quando o isolamento era maior do que o que temos visto nos últimos 15 dias – afirmou Covas.

São Paulo chegou nesta quinta-feira a 54.286 casos, com 3.189 registros num único dia. É quase o dobro dos 28.698 infectados registrados no fim de abril. Em um único dia, 197 indivíduos morreram, elevando os óbitos para 4.315.

Paulo Menezes, coordenador de Controle de Doenças da Secretaria de Saúde do estado, alerta que o problema não está apenas na existência ou não de leitos de UTI e respiradores para atender os pacientes. Até agora não faltaram leitos e equipamentos no estado, mas as mortes continuam em alta.

A taxa de morte entre as indivíduos que precisam ser internadas em UTI chega a 20%.

– Um a cada cinco internados em UTI, um não volta para a casa. Das indivíduos que tiveram Covid-19 no estado, 8% morreram e não foi por falta de leito de UTI – afirmou.

Parte dos pacientes de Covid-19 que recebem alta também fica com sequelas. A doença ataca, além dos pulmões, os rins e, segundo o médico, muitos que tiveram alta terão de continuar a fazer hemodiálise.

O governo de São Paulo atribuiu ao esforço do isolamento social a redução da participação do estado na quantidade de infecções e mortes no país.  No dia 1º de abril, o estado representava 44% dos casos registrados na nação brasileira. Na quarta-feira, o percentual era de 27%. Das mortes por Covid-19 no país, 31% ocorreram em São Paulo.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/sociedade/sp-se-aproxima-de-55-mil-casos-de-covid-19-preve-piora-nos-proximos-15-dias-24426858