Estações de trem do Rio sofrem 47 furtos de álcool em gel em um mês

As estações de trem do Rio de Janeiro registraram 47 casos de furto de equipamentos usados para disponibilizar álcool em gel 70% para os passageiros. Os dispensers foram instalados há um mês e também sofreram 137 episódios de vandalismo, segundo a Supervia, concessionária que opera o serviço de trens.

Ao divulgar os números, a empresa afirma que repudia os casos e lamenta que eles prejudiquem medidas de prevenção contra a transmissão da covid-19. A utilização de álcool em gel para esterilizar as mãos é considerada por especialistas uma forma importante de evitar a propagação do vírus, que pode infectar uma pessoa quando ela toca os olhos, o nariz ou a boca com a mão contaminada. 

Dois episódios de furtos terminaram com flagrantes contra os ladrões. No dia 5 de maio, um homem foi preso na estação Deodoro, após ter sido filmado retirando um dos dispensers de álcool em gel. Ele foi autuado por furto na 33ª Delegacia de Polícia (Realengo) e liberado.

No dia 15 de maio, outro homem foi flagrado fazendo o mesmo na estação Manguinhos. Ao ser revistado, agentes descobriram que ele levava equipamentos furtados de outras estações na mochila. Dessa vez, o caso foi registrado na delegacia de Bonsucesso, 21ª DP. 

A Supervia registrou ainda dez ataques de vandalismo contra totens de álcool em gel, equipamentos que podem ser acionados por pedais, evitando o contato com a mão. 

Créditos: Agência Brasil