Município celebra um ano do Pacto Lajeado Pela Paz planejando retomada das ações de prevenção

Um ano do Pacto Lajeado pela Paz Um ano do Pacto Lajeado pela Paz

Nesta quarta-feira, 10 de junho, o município de Lajeado celebrou um ano do lançamento do Pacto Lajeado Pela Paz, que foi apresentado à comunidade durante evento realizado em 10/06/2019 – para saber mais, clique aqui. Diversas ações foram implementadas nestes primeiros meses, e outros projetos estão prontos para serem executados tão logo sejam reduzidas as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, em especial quando houver a possibilidade de retomada das aulas.

Para acessar a apresentação da Prestação de Contas de um ano do Pacto Lajeado pela Paz, clique aqui

Para as próximas semanas, já está previsto a apresentação de um vídeo sobre o primeiro ano do Pacto e mais uma etapa de capacitação dos professores para atuação no programa socioemocional Seja, que atuará com questões comportamentais como a atenção mental, diálogo colaborativo, alfabetização emocional e empreendedorismo.

– Este primeiro ano foi de muito trabalho e estruturação de nossas ações. O Pacto Lajeado Pela Paz já alcançou grandes resultados na área da segurança e também na área da justiça restaurativa. Agora, estamos com uma grande expectativa das atividades que estão por vir com a implantação dos programas socioemocionais nas escolas e com as atividades preventivas junto a jovens que precisam de atenção especial. Acreditamos muito que este modelo será de grande relevância para fazer da nossa cidade uma referência na construção de uma cultura de paz – diz o prefeito, Marcelo Caumo.

O Pacto Lajeado pela Paz é um movimento multissetorial que tem como objetivo estimular e promover a criação de uma cultura de paz para prevenir a violência no município. Envolvendo diversas entidades e agentes policiais e fiscalizadores, o projeto usa metodologia baseada em evidências (comprovação dos efeitos e do resultado das ações), atuando em dois eixos: prevenção e aplicação da lei.

Na prevenção, o objetivo é realizar ações nas áreas de educação, saúde, assistência social e cultura, com atividades de promoção da paz desenvolvidas nas salas de aula de escolas de todo o município. Neste sentido, as ações do Pacto acabaram prejudicadas pelas restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, uma vez que a maior parte das ações planejadas para este eixo seria realizada nas escolas, que estão com as atividades suspensas desde março, e em trabalhos de grupo, que também não são recomendados por enquanto.

Já na área da aplicação da lei, o Pacto prevê a realização de ações integradas de fiscalização e policiamento para melhorar a sensação de segurança no município e reduzir a perturbação do sossego. Neste primeiro ano, estas ações se destacaram entre as ações do Pacto, com a realização de diversas ações integrando os diversos órgãos de segurança da região. Isso resulto na redução de indicadores criminais, um dos objetivos do Pacto.

Saiba mais sobre o Pacto Lajeado Pela Paz e as principais ações deste primeiro ano

Objetivos do Pacto Lajeado Pela Paz:

– Reduzir os homicídios

– Reduzir o consumo e atuar sobre o tráfico de drogas, especialmente em escolas

– Reduzir a vulnerabilidade juvenil e a vitimização infantil

– Reduzir a violência contra a mulher

– Estimular a convivência não violenta

Eixo da Aplicação da Lei:

– Realizou 10 ações de análise criminal e 5 relatórios de indicadores de prevenção

– 10 reuniões do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para tratar de estratégias conjuntas contra a violência

– 13 operações integradas e 16 operações específicas para fiscalização das restrições impostas pelo coronavírus

– 20 novos pontos de videomonitoramento

Resultados:

– Redução de 35% dos homicídios

– redução de 64% de pessoas feridas por armas de fogo

– Redução de 26% de roubo a pedestre

– Redução de 30% de roubo e furto de veículo 

Eixo da Prevenção:

– Criação do Comitê Integrado de Prevenção (CIP), com 18 reuniões realizadas

– Formação de 140 facilitadores da Paz dentro dos princípios da Justiça Restaurativa e realização mais de 160 Círculos de Construção de Paz, atingindo 3 mil participantes

– Formação de grupos para atuação junto a jovens com comportamento de risco, com o encaminhamento e acompanhamento de 75 casos

– Implantação do Sistema de Registro de Violência Escolar (Sispreve)

– Capacitação das redes de ensino para os programas socioemocionais, com elaboração de materiais específicos, que serão usados nas escolas quando for possível o retorno às aulas