Pesquisa Testa Lajeado segue pelo quarto dia consecutivo para avaliar disseminação do coronavírus

A moradora do bairro Conservas, Catiana Teixeira Mello, participou da pesquisa nesta terça-feira Foto: Pietra Darde A moradora do bairro Conservas, Catiana Teixeira Mello, participou da pesquisa nesta terça-feira

Pelo quarto dia consecutivo, estudantes e funcionários da Univates estão nos bairros de Lajeado fazendo as coletas para o projeto Testa Lajeado, um dos maiores programas de testagem sobre o coronavírus do país. A chamada “Pesquisa de Contaminação por Covid-19 na População de Lajeado” transformará o município em um dos que mais realiza testes no Brasil, com índices internacionais de testagem por milhão de habitantes.

Desde sábado, duplas formadas por estudantes de cursos das áreas médicas da universidade e funcionários estão nas ruas para fazer o trabalho. As casas onde é aplicado o teste rápido e feito o questionário foram sorteadas, e dentro de cada casa, um morador é sorteado para fazer o exame. Este método tem como objetivo garantir que a amostragem das coletas se dê de forma espalhada por todo o território do município.

Entre sábado e as 12h desta terça-feira, cerca de mil testes já haviam sido coletados. A meta é realizar 1.500 testes até quinta-feira, encerrando a primeira etapa do projeto. Depois, outras duas etapas serão realizadas de 14 em 14 dias para verificar de que forma a pandemia avançou na cidade.

A casa onde reside Catiana Teixeira Mello, 38 anos, foi uma das sorteadas no bairro Conservas. Ela recebeu nesta manhã as estudantes Lara Heringer, 25 anos, e Daniele Mallmann, 19, e aceitou a participar da pesquisa.

– Assim que li uma reportagem sobre a pesquisa, logo pensei que eu gostaria de ser testada. Isso porque tenho muito contato com pessoas no meu local de trabalho, o que me deixa com medo. Estou satisfeita com a forma de abordagem das alunas e também me sinto mais tranquila agora – contou Catiana. 

Após terem passado pelo bairro Universitário, as estudantes chegaram nesta terça-feira ao Conservas. Poder contribuir com a comunidade foi a principal motivação para as alunas se voluntariarem no projeto. 

– Esta pesquisa está sendo um dos nossos primeiros contatos com a prática da nossa profissão. É também uma forma de nos conhecermos enquanto profissionais e de sermos atuantes na comunidade. A experiência tem sido legal – disse Lara, aluna do 4º semestre do Curso de Medicina da Univates.

Com o volume de testes já aplicados pelo município, por laboratórios privados e pelos frigoríficos (mais de 4.300), somados aos 3.600 testes que serão aplicados na Pesquisa Testa Lajeado, o município chegará a cerca de cerca de 8 mil testes, o que, para uma população de 84.014 pessoas (estimativa IBGE 2019), significará uma proporção de 95.222 testes para cada milhão de habitantes – mais de 20 vezes o volume testado pelo Brasil (segundo dados do site Worldometers, que apresenta dados comparativos sobre o coronavírus de todo o mundo e pode ser acessado aqui: https://www.worldometers.info/coronavirus/#countries).

A realização de testes é importante para avaliar o percentual da população que já foi contaminado e a letalidade da doença, que é medida pelo número de mortes causados pela Covid-19 em comparação com o número de casos confirmados da doença. Quanto mais casos forem confirmados, mantendo-se o número de óbitos), menor será a letalidade da doença em decorrência da relação matemática entre estes dois indicadores. Ao mesmo tempo, os testes poderão indicar a necessidade de atuação mais específica em algumas regiões, ou a importância da adoção de medidas em determinados espaços físicos ou atividades. 

COMO IDENTIFICAR OS PESQUISADORES

Para dar segurança à comunidade, a Univates informa como identificar os pesquisadores participantes da pesquisa:

– Os carros utilizados estão com adesivos da Univates ou contam com cartazes na parte frontal do carro identificando os veículos

– Os pesquisadores usam máscara, face shield (proteção acrílica transparente no rosto), touca, luvas e avental

– As duplas chegam carregando uma caixa térmica onde estão os materiais 

– Os pesquisadores usam um crachá do “Testa Lajeado” e também têm consigo o crachá da Univates. Em caso de dúvidas, peça para mostrarem a credencial, que tem a foto da pessoa para ajudar na identificação.

– Os pesquisadores pedirão a assinatura de um termo de consentimento para participar da pesquisa, sortearão uma pessoa para participar, farão a coleta de uma gota de sangue desta pessoa para fazer o teste, aplicarão um questionário sobre sintomas, comportamento, distanciamento social e outras perguntas, pedirão que a pessoa faça a medição da circunferência abdominal e informarão o resultado do teste. Todas as informações do participante são mantidas em sigilo.

– Se ainda persistirem dúvidas, a pessoa pode ligar para a Univates para se certificar sobre a veracidade da pesquisa pelo fone 3714-7000 ramal 5870

– Se você desconfiar de algum golpe, acione a Brigada Militar pelo fone 190

PARA SABER MAIS SOBRE A PESQUISA

– A “Pesquisa de Contaminação por Covid-19 na População de Lajeado” será um dos maiores estudos do país para detectar a disseminação da doença Covid-19. Ela começou a ser feita em Lajeado no sábado, 30/05, e a primeira etapa de coleta se encerra na quinta-feira, 05/06. O objetivo é estimar a prevalência, ou frequência, da disseminação da Covid-19 na população. A pesquisa é realizada pela Univates e fará a testagem de 3.600 pessoas, em endereços sorteados aleatoriamente na cidade, para verificar o percentual de moradores da cidade que já desenvolveram os anticorpos para a enfermidade causada pelo novo coronavírus.

– A Univates recrutou estudantes das áreas da saúde para atuar em parceria com pesquisadores e com agentes de saúde. Em duplas ou trios, o grupo faz a abordagem dos moradores sorteados para a pesquisa e, se houver concordância, fará a coleta para o teste rápido e a pessoa responderá a um questionário. Importante salientar que os participantes serão sorteados, então não há como se inscrever ou se oferecer para fazer o teste.

– Os endereços em que os testes serão realizados serão sorteados seguindo critérios de distribuição geográfica usados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em cada abordagem nos endereços sorteados, uma pessoa será convidada a participar. Aceitando, deverá responder ao questionário informando dados gerais, de saúde, comportamento, comorbidades, sintomas e outros, e também terá uma gota de sangue coletada para a verificação da presença de anticorpos e terá medidas do abdômen verificadas. Se o caso for positivo, os demais moradores da residência também serão testados. Os dados dos participantes permanecerão em sigilo. Os casos positivos serão informados à Vigilância Epidemiológica do município para acompanhamento da evolução da pandemia.

– A pesquisa será realizada em 3 etapas, com intervalos de 14 dias entre cada uma. Este período é o intervalo de tempo adequado para detectar a expansão do vírus, cujo ciclo médio entre contaminação e cura é de 14 dias.

– Na primeira etapa, 1.500 pessoas serão testadas por meio de teste rápido para verificar se já tiveram contato com o vírus, o que será indicado no resultado por meio da detecção dos anticorpos. A quantidade de participantes a serem testados na segunda e terceira etapa será definida após os resultados da primeira etapa. Ao final, 3.600 pessoas terão sido testadas no município.

– A pesquisa realizada em Lajeado baseou-se no modelo que está sendo realizado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em 9 municípios gaúchos e agora também nacionalmente, com aperfeiçoamentos locais e ajustes quantitativos, já que haverá um percentual maior de testagens em Lajeado. Com uma população estimada em 84.014 pessoas (segundo o IBGE 2019), o volume de testes realizado em Lajeado resultará em uma pesquisa com margem de erro de 1% e índice de confiança de 95%.

– A pesquisa teve aprovação do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para garantir que a realização esteja em conformidade com preceitos científicos e que seus resultados possam ser usados em publicações da área.

– Depois de cada etapa de coleta, serão divulgados os resultados da prevalência encontrada em Lajeado.