Prefeitura do Rio antecipa abertura de shoppings para amanhã

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou hoje (10) que decidiu antecipar a reabertura das lojas dos mais de 30 shoppings da cidade para amanhã (11). Os estabelecimentos só poderão receber 30% da capacidade de frequentadores e funcionarão de 12h às 20h.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella disse que se reuniu com os empresários do setor nesta quarta-feira e acordou regras específicas para o funcionamento dos shoppings, que foram autorizados a reabrir na véspera do Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho.

Até hoje, esses estabelecimentos cariocas podiam abrir apenas para que restaurantes e bares servissem refeições nos sistemas drive thru, para viagens e entregas, sem que os frequentadores pudessem ocupar assentos das praças de alimentação, que continuarão fechadas com a flexibilização de amanhã.

A reabertura antecipada para o feriado de amanhã estava anteriormente programada para ocorrer na fase dois do Plano de Retomada do município, prevista para começar na próxima semana. Crivella disse que a queda na demanda por internações e a disponibilidade de vagas em unidades de terapia intensiva e enfermaria nas redes pública e privada foram considerados parâmetros favoráveis para a decisão.

“Essas curvas clínicas têm dado pra gente a tranquilidade de adiantar certas atividades”, disse o prefeito, que pediu para que pessoas com sintomas de covid-19 continuem em casa, assim como quem for dos grupos de risco, como idosos e doentes crônicos.

O prefeito disse que o horário de funcionamento dos shoppings foi limitado para que o deslocamento dos funcionários e clientes não coincida com os horários de trabalhadores de outros setores. “Se tivermos aglomerações e confusões, a gente retrocede”.

Para voltarem a funcionar, os shoppings deverão seguir as regras de ouro estabelecidas pela prefeitura para todos os setores da economia, além de regras específicas para o seu funcionamento. Uma delas será a medição de temperatura dos frequentadores na entrada dos estabelecimentos.

Impedimentos

Continuam impedidas de funcionar quaisquer áreas de lazer dos shoppings, como lounges, áreas de jogos e espaços de recreação para crianças. Os shoppings não poderão oferecer serviços de manobrista nem aluguel de carrinhos para crianças e deverão manter as portas abertas, para aumentar a circulação de ar. Entre outras exigências, os estabelecimentos precisarão apresentar à prefeitura documentos que comprovem a limpeza dos aparelhos de ar condicionado e dutos de ar.  A utilização de máscaras para os colaboradores e clientes é obrigatória, e o distanciamento social recomendado é de dois metros.

Crivella pediu que os shoppings que não tenham condições de cumprir todas as exigências não abram suas lojas. “Com essas regras que estamos estabelecendo aqui, não há porque as pessoas terem dúvidas”, disse o prefeito, que chegou a afirmar: “Podem ir ao shopping. Fiquem tranquilas”

A prefeitura pretende pedir aos shoppings que compartilhem seus sistemas de câmeras com o Centro de Operações Rio, e Crivella disse que pode solicitar que guardas municipais apóiem trabalhadores desses estabelecimentos a fazer com que as exigências sejam cumpridas.

Leitos

A cidade do Rio de Janeiro informou que está hoje com 89% dos leitos de unidade de terapia intensiva dedicados à covid-19 ocupados. Ontem, o percentual era de 85%. No caso dos leitos de enfermaria, a ocupação também subiu, de 49% para 51%. O plano de retomada do município considera que a flexibilização das fases um e dois pode continuar enquanto a ocupação média dos leitos de UTI for menor ou igual a 95% por um período de sete dias. Crivella disse que está otimista para que o plano de retomada avance para a fase dois na semana que vem, depois de 15 dias na fase um. 

O prefeito voltou a destacar que o número de sepultamentos registrados por dia no Rio de Janeiro caiu em relação a maio, mês que chegou a ter 380 sepultamentos em um dia, o que inclui as mortes por todas as causas. Em junho, esse número caiu para cerca de 220 a 230, patamar que ainda é quase 30% superior à média histórica de 180 sepultamentos por dia.

O município do Rio de Janeiro chegou ontem a 37.903 casos confirmados de covid-19, e registra também 4.599 mortes pela doença desde o início da pandemia, em março. O balanço de ontem da Secretaria Municipal de Saúde informava que, nas 24 horas anteriores, o município contabilizou 30 sepultamentos de pacientes com coronavírus e 32 enterros e cremações de casos suspeitos. O número de mortos, no entanto, cresceu em 83 casos em relação à segunda-feira, o que pode incluir a confirmação laboratorial do novo coronavírus em óbitos que ocorreram em datas anteriores.

Créditos: Agência Brasil