Secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura detalha ações adotadas para amenizar efeitos da estiagem

O secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, palestrou em webinar com o tema Estiagem, Gestão da Crise e Perspectivas de Futuro no Rio Grande do Sul. O encontro on-line foi promovido pela Associaçãa nação brasileiraeira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) na quarta-feira (17/6).

Na abertura da palestra, Artur Lemos destacou a união das pastas de Meio Ambiente e Infraestrutura no atual governo e a missão da gestão em desenvolver para proteger. Com essa integração, foi possível somar forças entre órgãos reguladores, empreendedores e sociedade no enfrentamento de ações de proteção ao ambiente.

“Desenvolvimento está atrelado à preservação ambiental. Para enfrentarmos uma situação severa de estiagem como a que estamos vivendo, também é necessário desenvolver o Estado para buscarmos soluções a curto, médio e longo prazo. Está na hora de pensarmos em políticas públicas perenes, não apenas um projeto, mas sim um programa que tenha continuidade em todas as gestões, envolvendo governo e sociedade. Muito já foi feito, mas ainda temos muito a entregar”, afirmou.

O secretário acrescentou que uma série de medidas emergenciais foram tomadas ainda no início do ano, quando começou o agravamento da estiagem, priorizando o abastecimento de água para consumo humano. Entre as primeiras iniciativas adotadas, estava a suspensão das captações no rio Gravataí por parte das indústrias, ainda no mês de fevereiro.

Outras ações emergenciais foram colocadas em ação, como o uso de caminhões-pipa, e novas iniciativas para o enfrentamento à estiagem devem ser anunciadas nas próximas semanas.

Plano Estadual de Saneamento

Conforme o secretário, o planejamento só é possível baseado em dados e reforçou a importância do trabalho desenvolvido pelo Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento (DRHS) da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), que colocou em dia os pedidos de outorga de água.

Todas essas ações são elaboradas em parceria com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Secretaria de Obras e Habitação (SOP), Secretaria de Governança e Gestão Estratégica (SGGE), Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Defesa Civil e Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

“Ainda temos o Programa de Revitalização de Bacias, que contará com recursos de R$ 4 milhões provenientes do Ministério de Desenvolvimento Regional, e uma contrapartida extra do Estado. Nesse programa, planejamos, por exemplo, a recuperação de nascentes e mata ciliar”, destacou o secretário.

O evento teve como mediador o vice-presidente da Abes-RS, Ricardo Rover Machado. Como debatedores participaram o diretor de operações da Corsan, André Finamor, o coordenador da Comissão de Meio Ambiente da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), Domingos Lopes, e o analista técnico do Conselho de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado (Fiergs), Tiago Pereira.

No final, secretário e convidados responderam perguntas de quem acompanhava a live pela página da Abes no Youtube. Sobre ao Plano Estadual de Saneamento, que atualmente está sob a organização técnica da Sema, Artur Lemos comentou que “vamos entregar este plano para a população ainda nesta gestão”.

Texto: Bárbara Corrêa/Ascom Sema
Edição: Secom