Segunda etapa da pesquisa Testa Lajeado se encerra nesta quarta-feira em Lajeado

Alunos e funcionários da Univates continuam percorrendo os bairros de Lajeado realizando a segunda etapa da pesquisa Testa Lajeado – Pesquisa de Contaminação por Covid-19 na População de Lajeado. Esta segunda etapa teve início no sábado, 13/05, e deve se encerrar nesta quarta-feira, 17/06. A primeira etapa, que ocorreu entre os dias 30 de maio e 4 de junho, já teve seus resultados preliminares divulgados. Ao todo, serão realizadas 3 etapas.

A estudante de Medicina Eduarda Capra Bertolin, e o funcionário da Univates, Cristian Griesang, formam uma das 26 duplas. Após terem percorrido na primeira etapa os bairros Moinhos e Jardim do Cedro, e na segunda o bairro Conventos, chegaram na manhã desta terça-feira na residência de Carmen Maria Weind, 87 anos, no bairro Americano.

Para a aposentada, participar da pesquisa é uma grande oportunidade. “Estou muito contente em ter participado. Estou tranquila com o resultado mas vou continuar me cuidando”, disse Carmen.

“O que me incentivou a ser voluntária foi a importância que essa pesquisa tem para a sociedade. Percebi que a grande maioria das pessoas está muito bem informada, e acredito que este seja um grande motivo para aceitarem a participar do projeto. É gratificante poder contribuir para essa pesquisa”, contou Eduarda.

Junto a Eduarda, estava Cristian Griesang, que contou como decidiu atuar na comunidade em meio à pandemia. “Eu estava trabalhando de forma remota quando percebi que essa pesquisa era uma oportunidade de adquirir experiência profissional e também de contribuir com a saúde da comunidade”, disse Griesang.

O objetivo da pesquisa é estimar a prevalência, ou seja, verificar a frequência e disseminação da Covid-19 entre a população lajeadense. Ao final, a pesquisa terá realizado a testagem de 3.600 pessoas, em endereços sorteados aleatoriamente na cidade, para verificar o percentual de moradores da cidade que já desenvolveram os anticorpos para a enfermidade causada pelo novo coronavírus.

Para realizar a pesquisa, a Prefeitura de Lajeado contratou a Univates. Estudantes das áreas de Medicina, Enfermagem, Farmácia e Biomedicina foram convidados pela instituição para atuarem em parceria com pesquisadores, funcionários da universidade e com agentes de saúde do município. Em duplas, eles fazem a abordagem dos moradores sorteados para a pesquisa e, se houver concordância, fazem a coleta de uma gota de sangue para o teste rápido e a pessoa responde a um questionário, bem como tem sua circunferência abdominal e temperatura medidas.

Resultados preliminares da primeira etapa

Na primeira etapa da pesquisa, 1.450 pessoas participaram do estudo. Desta amostra, 45 pessoas (3,1%) foram consideradas positivas para coronavírus porque o resultado do teste rápido indicou que tinham anticorpos para a doença. Esta prevalência era 14 vezes maior à encontrada na última rodada da pesquisa realizada pela UFPel, que está sendo realizada em 9 municípios do Estado e é uma das poucas pesquisas de prevalência realizadas no país. Com a prevalência de 3,1% encontrada na pesquisa da Univates, a estimativa é que haveria 2 mil pessoas contaminadas na cidade. Como Lajeado tinha 1400 casos confirmados no término daquela etapa da pesquisa, Lajeado poderia ser considerada uma das cidades com a menor subdetecção (subnotificação) do Estado. Enquanto o estudo da UFPel estimava 9 casos não notificados para cada positivo na última etapa, Lajeado teria menos de um caso não notificado para cada positivo. 

Para acessar os resultados preliminares da primeira etapa, clique aqui.

COMO IDENTIFICAR OS PESQUISADORES

Para dar segurança à comunidade, a Univates informa como identificar os pesquisadores participantes da pesquisa:

– Os carros utilizados estão com adesivos da Univates ou contam com cartazes na parte frontal do carro identificando os veículos

– Os pesquisadores usam máscara, face shield (proteção acrílica transparente no rosto), touca, luvas e avental

– As duplas chegam carregando uma caixa térmica onde estão os materiais 

– Os pesquisadores usam um crachá do “Testa Lajeado” e também têm consigo o crachá da Univates. Em caso de dúvidas, peça para mostrarem a credencial, que tem a foto da pessoa para ajudar na identificação.

– Os pesquisadores pedirão a assinatura de um termo de consentimento para participar da pesquisa, sortearão uma pessoa para participar, farão a coleta de uma gota de sangue desta pessoa para fazer o teste, aplicarão um questionário sobre sintomas, comportamento, distanciamento social e outras perguntas, pedirão que a pessoa faça a medição da circunferência abdominal e informarão o resultado do teste. Todas as informações do participante são mantidas em sigilo.

– Se ainda persistirem dúvidas, a pessoa pode ligar para a Univates para se certificar sobre a veracidade da pesquisa pelo fone 3714-7000 ramal 5870.

– Se você desconfiar de algum golpe, acione a Brigada Militar pelo fone 190.

PARA SABER MAIS SOBRE A PESQUISA

– A “Pesquisa de Contaminação por Covid-19 na População de Lajeado” será um dos maiores estudos do país para detectar a disseminação da doença Covid-19. A primeira etapa começou no dia 30/05 e foi até o dia 05/06. A pesquisa é realizada pela Univates e fará, em três etapas, a testagem de 3.600 pessoas, em endereços sorteados aleatoriamente na cidade, para verificar o percentual de moradores da cidade que já desenvolveram os anticorpos para a enfermidade causada pelo novo coronavírus. Para o teste, será usado o teste rápido, que indica a presença de anticorpos para a doença no sangue.

– A terceira e última etapa da pesquisa está prevista para iniciar em 27 de junho. O período de 14 dias entre as etapas é o intervalo de tempo adequado para detectar a expansão do vírus, cujo ciclo médio entre contaminação e cura é de 14 dias.

– Os endereços em que os testes serão realizados serão sorteados seguindo critérios de distribuição geográfica usados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em cada abordagem nos endereços sorteados, uma pessoa será convidada a participar. Aceitando, deverá responder ao questionário informando dados gerais, de saúde, comportamento, comorbidades, sintomas e outros, e também terá uma gota de sangue coletada para a verificação da presença de anticorpos e terá medidas do abdômen verificadas. Se o caso for positivo, os demais moradores da residência também serão testados. Os dados dos participantes permanecerão em sigilo. Os casos positivos serão informados à Vigilância Epidemiológica do município para acompanhamento da evolução da pandemia.

– A pesquisa realizada em Lajeado baseou-se no modelo que está sendo realizado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em 9 municípios gaúchos e agora também nacionalmente, com aperfeiçoamentos locais e ajustes quantitativos, já que haverá um percentual maior de testagens em Lajeado. Com uma população estimada em 84.014 pessoas (segundo o IBGE 2019), o volume de testes realizado em Lajeado resultará em uma pesquisa com margem de erro de 1% e índice de confiança de 95%.

– A pesquisa teve aprovação do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para garantir que a realização esteja em conformidade com preceitos científicos e que seus resultados possam ser usados em publicações da área.

– Depois de cada etapa de coleta, são divulgados os resultados da prevalência encontrada em Lajeado.

– O valor da pesquisa, de R$ 141 mil, será custeado pela Prefeitura e será destinado principalmente à aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para uso dos pesquisadores, que precisarão trocar seus aventais e luvas a cada visita realizada, e para custear as equipes. Os testes rápidos que serão utilizados foram repassados pela Secretaria Estadual da Saúde.