Pandemia obriga 69% das pequenas empresas ajustarem operação

A Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios na Crise, realizada pelo Sebrae RS entre os dias 03 e 12 de julho, mostra que o total de pequenos negócios gaúchos que precisaram fazer ajustes na operação chega a 69%, ou seja, praticamente duas em cada três empresas. Isso porque 40% deles estão funcionando com a estrutura física adaptada, 17% recorreram à internet, aplicativos ou passaram a usar ferramentas digitais e 12% investiram em delivery e take away para não fechar ou terem perdas maiores de faturamento.

“O delivery já se mostrava uma tendência antes mesmo da crise. A pandemia acelerou esse processo e fez muitas empresas migrarem para esse modelo de negócio. Reposicionar-se com rapidez neste momento de crise aguda é fundamental, pois a demora na tomada de decisões pode ser fatal, levando ao esgotamento dos recursos da empresa”, analisa o diretor-superintendente do Sebrae RS, André Vanoni de Godoy.

Entre os setores que mais investiram em adaptações está o comércio, em que 45% das empresas estão com a estrutura física remodelada. O setor de serviços é o mais afetado, pois uma em cada três empresas está impossibilitada de funcionar. Isso acontece por conta dos decretos governamentais que ampliaram as restrições de funcionamento em várias regiões do Estado. As que estão abertas representam 73% do setor. Dessas, 40% estão com a estrutura adaptada. No setor de agronegócio, pelas suas características, 62% não sofreram nenhum tipo de alteração no formato durante a pandemia.

 

Confira mais dados da pesquisa realizada pelo Sebrae RS:

Funcionamento

Agronegócio

12% não

88% Sim

Indústria

15% não

85% sim

Comércio

14% não

86% sim

Serviços

27% não

73% sim

Formato a empresa está funcionando

Agronegócio

5% com estrutura adaptada

19% Delivery e take away

62% sem alteração no formato

14% com ferramentas digitais

 

Indústria

39% com estrutura adaptada

11% delivery e take away

32% sem alteração no formato

18% com ferramentas digitais

 

Comércio

45% com estrutura adaptada

11% delivery e take away

27% sem alteração no formato

17% com ferramentas digitais

 

Serviços

40% com estrutura adaptada

13% delivery e take away

31% sem alteração no formato

16% com ferramentas digitais

Pandemia obriga 69% das pequenas empresas ajustarem operação

Créditos: Sebrae RS