Capacitação da 11ª CRE trata de biossegurança escolar

Uma capacitação online realizado pela 11ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) começou nesta segunda-feira, 28 de setembro, com o tema “Biossegurança escolar no contexto covid-19”. O evento, que ocorre até o final da semana, busca orientar para as medidas de prevenção, monitoramento e controle da pandemia a serem aplicadas nas escolas abrangidas pela regional de Osório.

O foco das atividades é capacitar agentes educacionais ligados a infraestrutura e manutenção e a alimentação, bem como monitores e diretores. A expectativa é de que a formação permita uma melhor implementação de protocolos de segurança quando ocorrer o retorno de aulas presenciais nas escolas.

Entre os assuntos tratados na capacitação estão as regras do distanciamento controlado e monitorado, a correta utilização, troca, higienização e descarte de equipamentos de proteção individual (EPIs), a importância da higienização e desinfecção adequadas dos materiais, superfícies, pisos e maçanetas dos ambientes e o estímulo e a educação à prática da higienização frequente das mãos. Também estão sendo apresentados os procedimentos necessários para garantir a segurança necessária, a importância de organizar horários alternados para a distribuição da alimentação escolar, os procedimentos a serem implantados na entrada da escola e a organização de protocolos, manuais de limpeza e higiene dos diferentes espaços escolares.

As atividades da formação ocorrerão em dois módulos. O primeiro módulo é composto pelas webconferências. No segundo módulo, serão aplicados os conceitos no ambiente escolar, quando as aulas presenciais retornarem. Todo o processo é acompanhado por três integrantes do Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE) da região: Marina Gomes, Andréia de Queiroz Marculino e Lisandra Monteiro.

Segundo Marina, a formação foi pensada pelos membros do COE, que consideraram necessária a formação, frente ao possível retorno das aulas presenciais. “A formação está sendo muito gratificante. Sou formada em Biomedicina, o que ajuda a falarmos sobre os protocolos e os EPIs, enquanto minhas colegas Andréia, que é nutricionista, e Lisandra, que é técnica em alimentação, puderam falar sobre os cuidados com os alimentos”, relata.

Para Marina, ao oferecer aos profissionais das escolas o conhecimento necessário sobre como seguir os protocolos, a 11ª CRE qualifica a ação e permite que as medidas de segurança sejam implementadas da melhor forma possível, oferecendo um ambiente mais seguro para todas as pessoas que frequentarem a escola.

Créditos: SEDUC RS