Funcionários de sindicatos de trabalhadores rurais recebem treinamento para operar Sistema de Defesa Agropecuária

Funcionários de sindicatos de trabalhadores rurais ligados à Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag-RS) receberam, nesta quinta-feira (19), treinamento para a operação do Sistema de Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). A atividade ocorreu no Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Bagé e tem o objetivo de permitir que produtores familiares que não têm computador ou acesso à internet possam usar a estrutura dos sindicatos para emitir Guias de Trânsito Animal e outros serviços, desafogando o movimento nas inspetorias de defesa agropecuária.

Por meio da parceria entre a Fetag e a Seapdr, o Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS (Fundesa) aportou mais de R$ 400 mil para equipar os sindicatos em 56 municípios de fronteira. “Entregamos computadores, impressoras e material de escritório para que os pecuaristas familiares possam ter acesso a essa tecnologia e agora, com o treinamento, entramos em uma nova etapa”, afirma o presidente do Fundesa, Rogério Kerber. Segundo ele, estes produtores da fronteira fazem parte de um projeto-piloto que poderá ser estendido a todo o estado.  Para Kerber, a iniciativa traz para dentro do sistema de defesa agropecuária uma entidade que tem vínculo e proximidade muito grande com pecuaristas familiares.

O diretor-adjunto do Departamento de Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Henrique Bueno, destaca que este é um marco histórico para o estado. “O compartilhamento de responsabilidades fortalece o estabelecimento de ações e proposições de avanços e de conquistas para o agronegócio que sustenta o nosso estado”, completa.

O coordenador regional de Fronteira da Fetag-RS, Milton Domingues Brasil, garante que o projeto vai facilitar a organização do pecuarista familiar da região. “O produtor vai ter acesso direto, dando a oportunidade para que, dentro do sindicato, ele receba todas as informações, sem custo nenhum para ele”, comemora.

Cartilha do Produtor

Também foi lançada durante o treinamento a Cartilha do Produtor (veja aqui), uma publicação de 24 páginas com orientações sobre os programas sanitários ligados à pecuária. O documento explica ainda as atribuições de todos os elos das cadeias produtivas, promovendo a consciência sobre responsabilidade compartilhada.

O assessor de política agrícola e meio ambiente da Fetag-RS Guilherme Velten Jr, explica que desta forma o produtor fica com informações claras e acessíveis sempre em caso de dúvida. “Chamamos a atenção sobre a importância da notificação de suspeitas. A cartilha tem uma parte dedicada somente a este aspecto, com todas as informações de contato com o Serviço Veterinário Oficial”, pontua.

Créditos – SEADPR RS