Iniciadas as oficinas de teatro na Biblioteca Pública de Lajeado

0 0
Read Time:3 Minute, 48 Second

Na noite de segunda-feira, 31/05, a sala de teatro da Biblioteca Pública Municipal João Frederico Schaan, localizada no Centro de Lajeado, ganhou vida novamente com o início das oficinas de teatro. As oficinas estão sendo oferecidas gratuitamente pela Prefeitura de Lajeado, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) para 50 alunos de diferentes idades, que foram divididos em três turmas. 

 

Ministrada pelo ator lajeadense Pablo Capalonga, a primeira aula da noite foi para as crianças da turma infantil. O titular da Secel, Carlos Reckziegel, e a coordenadora da Cultura da Secretaria, Talita Fracalossi, estiveram presentes para desejar boas-vindas aos alunos.

 

– Essas oficinas são a realização de um grande sonho que tínhamos para trazer de volta as aulas de teatro a Lajeado. A nossa ideia é preparar os alunos para que possam também participar de algumas apresentações em eventos do município – disse Carlos para a turma infantil.

 

Conforme o professor Pablo Capalonga, exercícios de sensibilidade, socialização, desinibição, expressão corporal, criatividade, jogo cênico e criação de cenas dramáticas são algumas das atividades que serão desenvolvidas com os alunos. Ele explica que o enfoque e a abordagem serão diferentes para cada turma, de acordo com a faixa etária de cada grupo. Para ele, ser professor na mesma sala onde iniciou sua formação é motivo de felicidade: 

 

– Foi aqui que tudo começou, neste espaço do subsolo da biblioteca. Foi incrível retornar para esta sala onde estudei e tive as primeiras experiências com arte e teatro. Tudo proporcionado por uma oficina, da qual hoje sou professor – contou Pablo.

 

Alexandra Moraes Dias, 41 anos, mãe de uma das alunas, conta que encontrou na oficina uma oportunidade para a filha continuar a estudar teatro.

 

– Minha filha, Bianca, já faz teatro desde a 1ª série na escola em que estuda. Como não teve mais aulas em razão da pandemia, resolvi inscrevê-la na oficina pois acredito que facilita na comunicação. Percebi que ela evoluiu muito depois que passou a fazer teatro. Além disso, é uma forma que ela tem de interação com outras crianças, que está faltando muito em tempos de pandemia – explicou Alexandra, que aguardava a filha do lado de fora do prédio.

 

Segundo Capalonga, a oficina é uma chance concreta de um grande desenvolvimento pessoal e artístico para cada participante. 

 

– Todos que estão participando se inscreveram porque gostam de arte e porque viram nesta oficina uma possibilidade de trilharem um caminho de construção. São poucas oportunidades nesta área. Todos estavam muito felizes na primeira aula. Apesar da máscara, os olhos falavam – relatou Capalonga.

 

Com o objetivo de seguir aprendendo, Bruno Matheus Werner, 9 anos, que sonha em ser ator, decidiu participar da oficina.

 

– Eu quis fazer teatro porque queria continuar com as aulas que eu já fazia na minha escola. O que eu mais gosto do teatro é das apresentações e dos exercícios – disse Bruno.

 

Em razão da alta procura pelas aulas, foram organizadas três turmas: a turma infantil para crianças até 12 anos, a turma de infanto-juvenil para jovens entre 13 e 17 anos, e a turma adulto para pessoas acima de 18 anos. 

 

As aulas estão ocorrendo no teatro da Biblioteca, sempre nas segundas-feiras para todas as turmas, seguindo os protocolos de distanciamento e higienização.

 

Saiba mais sobre o ator Pablo Capalonga

 

Pablo Capalonga é ator, professor e diretor de teatro com 25 anos de atuação profissional. No Vale do Taquari, dirige o Natal do Morro em Arvorezinha e a Paixão de Cristo de Imigrante. Atualmente, atua em Lajeado, sua cidade natal. Em 2011, escreveu e atuou no espetáculo “O Menino que Aprendeu Cedo Demais”, eleito o melhor espetáculo infantil do Estado naquele ano. 
 

Créditos: Assessoria de Imprensa PML

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %