Plano de concessões precisa ser melhor analisado e mais discutido

0 0
Read Time:2 Minute, 48 Second

Seminário promovido pela FEDERASUL e Assembleia Legislativa ouviu lideranças sobre os projetos das concessões do RS e reafirmou posição contrária ao pedágio na 118

                Preocupada por não ser ouvida pelo governo do Estado, que também não está ouvindo as entidades e muito menos os usuários, a FEDERASUL realizou, nesta segunda (13), o Seminário “Análise das concessões de rodovias no Rio Grande do Sul”, promovido em conjunto com a Frente Parlamentar ERS 118, presidida pelo deputado Tiago Simon. O Seminário ouviu entidades, deputados e prefeitos que mostraram as razões contrárias ao pedágio na 118 e alertaram para a falta de debates sobre o plano de concessões do governo gaúcho que, como foi revelado, vai trazer perda de competividade e provocar aumento das desigualdades regionais. “O governo não nos ouviu em momento algum”, disse o vereador Everton Kremer, do Vale do Caí. “Estamos em pleno desenvolvimento e como está desenhado o projeto de concessão, no bloco 3, perderemos a competitividade”, enfatizou.

A FEDERASUL, defensora das concessões e das privatizações, conforme destacou seu presidente, Anderson Trautman Cardoso, no caso da 118 é contra o pedágio porque a rodovia está localizada em área urbana, com grande deslocamento de pessoas que teriam seus custos ampliados e redução das oportunidades de desenvolvimento e até mesmo de emprego em outra cidade. “Há um deslocamento de mais de 150 mil pessoas/dia que teriam dificuldades, pelo aumento de custo, de mobilidade entre os municípios da região metropolitana”, explicou Darcy Zottis, coordenador do Movimento RS118 sem pedágio.

 Com as palavras do deputado Tiago Simon, presidente da Frente Parlamentar da ERS 118 e do presidente da FEDERASUL, Anderson Trautman Cardoso, que abriram os trabalhos, no início da tarde, o Seminário levantou as questões que dizem respeito aos pontos de vista da entidade, e que estão em sintonia com a Assembleia Legislativa. Mostrou, por exemplo, que falta discussão, debates e opiniões sobre o projeto de concessões do governo do Estado.

         Participaram do Seminário, que aconteceu de forma híbrida, com presenças no Plenarinho da Assembleia Legislativa e entidades, Paulo Ziegler, da Fetransul; deputados Fábio Ostermann, Any Ortiz e Tiago Simon e pela Granpal o prefeito Leonardo Pascoal. Representando o prefeito Sebastião Melo, a secretaria Ana Pellini. Pela FEDERASUL falaram também os vice-presidentes Rafael Goelzer e Rodrigo Sousa Costa.

         O painel sobre os impactos econômicos e sociais nos municípios, teve a  mediação do vice-presidente e coordenador da divisão de Infraestrutura da FEDERASUL, Antonio Carlos Bacchieri Duarte. Participaram o coordenador do Movimento RS118 sem Pedágio, Darcy Zottis, que reafirmou o posicionamento que vem defendendo e lembrou que o governador não recebeu o Movimento, mas participou de um seminário realizado pelas concessionárias. Ele sugeriu a redação de um documento para ser entregue ao Executivo.

  O vice-presidente Rafael Goelzer lembrou sobre a necessidade de aprofundar o estudo econômico-financeiro sobre as concessões e  Rodrigo Sousa Costa sugeriu a redação de uma síntese do seminário, pela Assembleia Legislativa, para servir de ferramentas e viabilizar uma audiência com o Executivo. “Trata-se de um assunto de interesse geral, fundamental para o desenvolvimento social e econômico do RS que, como está posto, vai agravar as desigualdades regionais”, ponderou Sousa Costa.

– Curta e Compartilhe!

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %