Fertilizante organomineral é alternativa econômica e sustentável para a pecuária

0 0
Read Time:4 Minute, 19 Second

Fertilizante organomineral é alternativa econômica e sustentável para a pecuária

Destaque entre as práticas de agricultura regenerativa, técnica reaproveita resíduos gerados e proporciona produção mais sustentável de leite

Com os avanços das técnicas agroecológicas, a pecuária leiteira vem buscando, cada vez mais, formatos sustentáveis capazes de neutralizar as emissões de carbono, restaurar a biodiversidade local e regenerar o solo, ao mesmo tempo em que beneficiam os produtores por meio de práticas mais econômicas e produtivas. Neste cenário, uma técnica eficiente vem ganhando espaço entre as fazendas brasileiras: a fertilização organomineral.

Essenciais para o desenvolvimento das plantas, os fertilizantes de origem natural ou sintética, que já se destacavam na produção agrícola pelo potencial de correção de deficiências nutricionais do solo, agora, integram estratégias de agricultura regenerativa e agroflorestal na pecuária leiteira, com abordagens inovadoras que reutilizam os resíduos gerados na própria produção, contribuindo para a melhora física do solo, aumento da intensidade da atividade biológica, redução da fixação do fósforo no solo, aumento da resistência da flora à secas e, ainda, para a redução de custos operacionais.

O produtor Cesar Oliveira, adepto da técnica que foi apresentada em uma edição do evento Dia de Varanda, promovido pela Danone mensalmente, e proprietário de uma das cem fazendas mais eficientes do Brasil de acordo com Índice Ideagri do Leite Brasileiro (IILB), conta como foi a transição da fertilização química para a organomineral: “há mais de 15 anos estabelecemos uma parceria com a Danone Brasil para produzirmos leite com mais qualidade e sustentabilidade e, no meio deste caminho, nos deparamos com a possibilidade de reaproveitarmos resíduos que já eram gerados na fazenda. Por meio de avaliações técnicas e treinamentos, percebemos que esta seria uma grande possibilidade para aumentarmos a produtividade das lavouras, beneficiando o solo e os animais, por meio de silagens de milho com maiores teores de nutrientes, reduzindo o uso do adubo sintético, deixando o solo menos ácido e mais resistente a doenças. Consequentemente, vimos também um aumento na produção do leite”.

 

“Tendo o leite como matéria-prima, é fundamental continuarmos na busca por soluções práticas e eficazes para transformar a produção, gerando impactos positivos para os nossos produtores parceiros, os animais nas fazendas, o meio ambiente e consumidores. Tornando as tecnologias mais acessíveis e fornecendo orientação técnica especializada, acreditamos que podemos revolucionar a produção leiteira e tornar os sistemas alimentares mais sustentáveis”, afirma Henrique Borges, diretor de Compras de Leite da Danone Brasil.

Em comparação com fertilizantes minerais, os organominerais contribuem para o combate às mudanças climáticas, uma vez que é possível aproveitar os resíduos gerados. Com isso, a produção torna-se mais eficiente e também ocorre uma redução da emissão de gases de efeito estufa (GEEs). A pauta climática é tão relevante, que é foco de discussões e investimentos em grandes indústrias. No Brasil, a Danone tem como meta zerar as emissões líquidas de carbono em toda sua cadeia até 2050.

Com a incorporação do organomineral no manejo da silagem, o produtor Cesar Oliveira notou um incremento de produtividade por hectare de mais de 40%. Ele ainda reforça que o principal investimento para uma operação mais sustentável e produtiva é a capacitação técnica dos envolvidos nas atividades rurais e a construção de uma rede de parceiros comprometidos com o mesmo propósito: impulsionar o negócio de forma sustentável.

 

Sobre a Danone 

 A Danone é uma empresa multinacional líder em alimentos e bebidas, com base em categorias voltadas para a saúde e de rápido crescimento: produtos lácteos, base vegetal, águas e nutrição especializada. Com sua visão ‘One Planet. One Health’, a qual considera que a saúde das pessoas e do planeta estão interconectadas, a Danone tem como objetivo inspirar práticas de comer e beber mais saudáveis e sustentáveis. Para acelerar essa revolução alimentar e criar um valor superior, sustentável e lucrativo para todos os seus stakeholders, a Danone definiu nove Objetivos para o 2030 e abriu o caminho como a 1ª empresa com ações listadas na bolsa de valores (Euronext Paris) a adotar o status de “Empresa orientada à Missão”. Com o objetivo de levar a saúde por meio da alimentação para o maior número de pessoas possível, e os correspondentes objetivos sociais e ambientais estabelecidos em seus estatutos, a Danone compromete-se a operar de maneira eficiente, responsável e inclusiva, de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas. Em 2021, a subsidiária Danone Brasil se tornou a primeira grande indústria alimentícia a obter a certificação de Empresa B no país. Com a conquista da certificação aqui no Brasil, o Grupo Danone, que tem mais de 100.000 funcionários e produtos vendidos em mais de 120 mercados, agora possui metade do seu faturamento global proveniente de negócios com a certificação B Corp. O objetivo é que as 130 subsidiárias conquistem a certificação B até 2030. A Danone é parte dos principais índices de sustentabilidade, incluindo os administrados pela Vigeo Eiris e Sustainalytics, bem como o Índice de Sustentabilidade Ethibel, o MSCI ESG Indexes, FTSE4Good Index Series, Bloomberg Gender Equality Index e Access to Nutrition Index. No Brasil o portfólio é composto por marcas de sucesso como Activia, Danoninho, Danone, Bonafont, Souvenaid, Milnutri, FortiFit e Nutridrink, entre outras. Saiba mais em: https://corporate.danone.com.br/

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %